MegaBots vs. Kuratas: o alvorecer de uma nova era

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Você é fã de robôs gigantes? Curte animes de Mechas como a série Gundam? Pois então preparem-se, pois é provável que um de seus sonhos esteja prestes a se tornar realidade! Exatamente um ano atrás, no dia 30 de junho, o seguinte vídeo foi publicado no YouTube:

Eu particularmente me lembrei da minha infância, especialmente desse episódio do desenho Megas XLR:

O vídeo da MegaBots se tornou um hit na Internet com mais de 6,7 milhões de visualizações, foi um desafio dos americanos da MegaBots Inc. para os japoneses da Suidobashi Heavy Industries. Mais surpreendente ainda, foi a resposta dos japoneses, que veio duas semanas depois, no dia 5 de julho:

No vídeo os japoneses não só aceitaram o desafio como também estabeleceram as primeiras regras para o combate: a luta será travada corpo-a-corpo, até que o primeiro adversário caia. Passado um ano da publicação do vídeo original, vamos fazer uma análise completa dos competidores para servir de guia para essa que deverá ser uma batalha histórica.

O desafiante: MegaBots Mk II

Criada em 2014, a MegaBots Inc. nasceu da paixão dos norte-americanos Gui Cavalcanti, Matt Oehrlein e Brinkley Warren por ficção cientifica e robôs gigantes. Formada com o objetivo de estabelecer as bases para um novo eSport, a luta de robôs gigantes, a oportunidade perfeita surgiu quando os criadores ficaram sabendo da existência de outro Mecha pilotado por humanos, o Kuratas, e quando o desafio foi aceito foi lançada a pedra fundamental desse tipo de competição. Contudo, a primeira coisa a ficar clara foi a inferioridade técnica do robô estadunidense. O MK II não só era uma máquina mais lenta, pesada, mas sua construção também era mais primitiva que o rival japonês, e se tornou óbvio que o Mk II precisaria de uma atualização pesada se quisesse ser capaz de enfrentar o concorrente.

MegaBots_Mk_II_ficha_técnica

A forma escolhida para lidar com esse desafio de colocar em pé de igualdade o competidor americano foi iniciar uma campanha de crowdfunding (clique aqui para acessar a campanha), e buscar parceiros técnicos na indústria americana. O chamado para a campanha veio na forma do vídeo abaixo, apelando para o nacionalismo dos Estados Unidos:

No vídeo eles apresentaram os parceiros que se dispuseram a transformar o sonho do robô de lutas americano em um competidor altamente capaz, a citar:

  • Autodesk: patrocinador principal desde o início do projeto, fornecendo softwares de design e acesso a equipamentos de fabricação mecânica de última geração;
  • Grant Imahara: ex-Mythbuster, assessor técnico para mídia e divulgação;
  • Trey Roski & Greg Munson:fundadores da BattleBots, liga estadunidense de lutas de robôs como assessores técnicos do time de engenharia;
  • IHMC Robotics: empresa da Flórida que tem a melhor colocação no desafio DARPA para robôs humanoides, que poderá desenvolver um sistema avançado de controle de equilíbrio dinâmico para garantir que o Mk II mantenha-se de pé com os golpes que receber (desde que a meta da campanha de financiamento coletivo seja atingida);
  • NASA: adoção de sistemas de segurança e proteção da NASA no cockpit para permitir que os pilotos possam lutar com mais liberdade sem sofrer tanto com os impactos da batalha;
  • FonCo Creative Services: empresa que poderá ficar responsável por criar uma pintura nível Hollywood para o MK II;
  • Howe&Howe Technologies: empresa americana especializada em plataformas robóticas e sistemas de tração por lagartas, que será responsável pela atualização e melhoria do sistema de locomoção do Mk II, incluindo a adoção de um sistema de suspensão e um motor mais potente para melhorar a mobilidade;

Até o momento, a campanha foi capaz de levantar cerca de US$ 550 mil, o que permitiu a Howe&Howe desenvolver uma nova plataforma de lagartas, que ao invés do motor Honda V-Twin de 24 HP é agora equipada com um motor turbodiesel V8 de 340 HP. Com isso a velocidade máxima foi elevada para 16 km/h e a resposta e força dos sistemas hidráulicos também poderá ser melhorada, pois a pressão de trabalho disponível foi elevada de 2500 para 4000 psi, com uma vazão de óleo dez vezes maior (120 GPM contra 12 GPM).

Nova plataforma de lagartas criada pela Howe&Howe Technologies. Fonte: Divulgação.

Nova plataforma de lagartas criada pela Howe&Howe Technologies. Fonte: Divulgação.

Quanto a construção, o Mk II é feito com aços similares aos empregados em equipamentos da construção civil, e sua proteção aos pilotos está sendo melhorada através do uso de placas de Hardox montada em suportes de borracha para isolar a estrutura dos impactos recebidos. Os tripulantes sentam em posição similar a um caça de dois lugares, com o “motorista” sentado na poltrona traseira e o atirador na dianteira. Essa configuração foi escolhida pela experiência dos construtores em jogos de Mechas, onde a habilidade de rotacionar o torso do robô implica que por muitas vezes o piloto está dirigindo de costas para a direção de deslocamento, com foco no alvo e acaba acertando obstáculos como árvores e construções. Devido ao posicionamento, o motorista do Mk II conta com diversas câmeras, similares as câmeras de ré utilizadas em automóveis para ajudar a ganhar visibilidade em todas as direções. Para o combate corpo-a-corpo, o sistema escolhido depende também do atingimento das metas de financiamento. Caso seja atingido o valor de US$ 750 mil serão desenvolvidos um grupo de armas modulares como garras, escudos, socos pneumáticos, canhões e lança-chamas (ver imagem abaixo para alguns exemplo possíveis).

Conceito da novas armas que estão sendo desenvolvidas para o Mk II. Fonte: Divulgação.

Conceito da novas armas que estão sendo desenvolvidas para o Mk II. Fonte: Divulgação.

O desafiado: Suidobashi Heavy Industries Kuratas

Primeira empresa no mundo a oferecer um robô controlado por humanos no mercado (ao preço módico de US$ 1.353.500), a Suidobahsi Heavy Industries nasceu em 2012 como o fruto do sonho do artista Kogo Kurata e do roboticista Wataru Yoshizaki em ter Mechas no mundo real. Por ser mais antigo, o Kuratas é um projeto mais maduro tecnologicamente, contando com head up display, travamento automático de alvo, como podemos ver no vídeo de demonstração do Kuratas:

Além das duplas metralhadoras rotativas e da mão mecânica controlada por Power Glove, o Kuratas conta ainda com o sistema de lançamento de projéteis  LOHAS em seu arsenal. Diferente dos americanos, os japoneses adotaram ma postura mais reservada para sua preparação que está sendo tocada como segredo de estado. Até o momento nenhuma informação sobre as modificações planejadas foi fornecida, dessa forma baseamos a ficha técnica do Kuratas nas informações e modelos já mostrados ao público:

Kuratas_ficha_técnica

A batalha

Até o momento não foram divulgados muitos detalhes do combate, mas segundo a discussão criada no reddit pela MegaBots ainda não existe decisão sobre o local, data ou as regras. O que foi divulgado é ambos os times estão trabalhando em conjunto para estabelecer o quanto antes o formato de disputa e parece estar decidido que a segurança dos pilotos será privilegiada, com reforços nos cockpits e a presença de um botão vermelho em cada veículo capaz de desativar ambos os competidores caso haja algum participante ferido. Baseado nas informações disponíveis até agora fizemos o quadro abaixo, mostrando as fraquezas e pontos fortes de cada competidor:

Megabots_vs_Kuratas_comparacao

De qualquer forma, assim que surgirem mais novidades essa página será atualizada e traremos uma cobertura desse que pode ser um dos grandes eventos do ano.

Link para o site dos competidores:

MegaBots Inc.

Suidobashi Heavy Industries

 

 

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.