Explicando as categorias do automobilismo mundial – parte 4

Depois de conhecer as principais categorias regulamentadas pela FIA e pela Indy Series, é chegada a hora de conhecer outras categorias de fórmula de alto nível que competem pelo mundo, mas que são regidas e/ou organizadas por outras entidades.

BOSS GP

A BOSS GP é uma categoria para monopostos baseada na Europa, com origem na BOSS Formula Series de 1995, e que também já teve o nome EuroBOSS. O nome BOSS é uma sigla para Big Open Single Seaters (em tradução livre, Grandes Monopostos abertos). Atualmente, a BOSS GP tem três subcategorias:

  • Open Class: carros de Fórmula 1 construídos a partir de 1996, Lotus T125, Rodin FZED e IndyCars construídos a partir de 2008;
  • Formula Class: carros de GP2 e Fórmula 2, A1GP, Fórmula Acceleration 1 e World Series by Renault V8
  • Prestige Class: Fórmula 300 construídos a partir de 2002, World Series by Renault V6 e World Series by Nissan.

A categoria é centrada em gentleman drivers, normalmente empresários de sucesso que desejam competir no automobilismo e experimentar a experiência de pilotar monopostos de ponta. Dito isso, para competir os pilotos devem ter determinado nível de habilidade para que não sejam um perigo para os demais competidores e para si mesmos. Eventualmente, jovens pilotos participam da categoria para ganhar experiência em monopostos de alta performance antes de galgar para categorias como a F2.

Os competidores utilizam pneus Pirelli com compostos especialmente desenvolvidos para a categoria, e os carros devem seguir o regulamento de sua categoria original, ainda que adaptações sejam permitidas para a utilização de motores como os Mecachrome V8 e Judd V10 já que peças para carros de F1 clássicos são difíceis de se encontrar. Os carros mais velozes da categoria normalmente são mais rápidos até mesmo que os pilotos da F2, e hoje a BOSS GP é a categoria mais rápida baseada no continente Europeu.

Super Formula

A Super Formula é a principal categoria de monopostos japonesa, e tem origem no All-Japan Formula 2000 Championship. Por anos a categoria seguiu os regulamentos FIA, primeiro da Fórmula 2 e posteriormente da Fórmula 3000. Isso durou até 2006, quando a categoria passou a utilizar um regulamento técnico e carros próprios. O carro atual, o SF19 é um composto por um monocoque de fibra de carbono construído pela italiana Dallara, ao qual podem ser montados motores Toyota ou Honda 2.0 Turbo de quatro cilindros, com potência de 543 HP. Esses motores são derivados dos motores NRE dessas montadoras para a categoria GT500 do Super GT, porém preparados para render uma potência menor. Os pneus são sempre Yokohama.

Como segurança, o SF19 é construído com padrões similares aos da F1, e marca a introdução do HALO na Super Formula. Do ponto de vista esportivo, os competidores dispõem de um sistema chamado OTS (sigla para OverTake System, ou sistema de ultrapassagem), que proporciona um aumento de 5% de potência por um período de 20 segundos. Os pilotos têm direito a utilizar o OTS por 5 vezes durante as provas, e um sistema de LED no carro indica quando o sistema foi acionado.

S5000

A S5000 é um campeonato australiano que deve começar a ser disputado em 2020, a partir da fusão de dois campeonatos: a Formula Thunder 5000 e a Super5000. Ambos os campeonatos tinham o objetivo de marcar o renascimento da Fórmula 5000, categoria que teve muito sucesso durante os anos 70 e início dos 80, utilizando monopostos antigos de outras categorias e carros desenvolvidos especificamente para a Fórmula 5000, com a cilindrada do motor limitada a 5.000 cm³.

O carro atual da S5000 é baseado no monocoque Ligier de Fórmula 3. A esse monocoque é montado um motor Ford Coyote 5.0 V8, preparado pela empresa InnoV8, com potência de 560 HP. A suspensão e pacote aerodinâmico foram desenvolvidos pela Borland Racing Developments e fabricados pela Garry Rogers Motorsport. Os pneus são de marca única da americana Hoosier Racing Tire. Até o momento, apenas uma prova inaugural foi disputada, em formato de rodada dupla, com participação de Rubens Barrichello, e em 2020 é previsto um campeonato com 6 etapas, a primeira delas em Melbourne servindo como prova de suporte ao Grande Prêmio da Austrália de Fórmula 1.

Onde acompanhar

BOSS GP: https://www.bossgp.com/

Super Formula: https://superformula.net/sf2/en/

S5000: https://www.s5000.com.au/

Finalmente, a primeira vitória da Minardi!

Quem diria que, depois de 10 anos fora da Fórmula 1, finalmente um carro da Minardi se consagraria vencedor de uma prova sancionada pela FIA, e mais do que isso, num dos circuitos mais importantes do mundo, em Monza. Você pode estar se perguntando como isso é possível, já que o bólido italiano já não se enquadra nos regulamentos atuais da Fórmula 1, mas o fato é na Europa é disputado um campeonato chamado BOSS GP (BOSS = Big Open Single Seaters) onde competem carros que já disputaram categorias como Fórmula 1, Indy, ChampCar, GP2, Fórmula 3000 e outras, numa espécie de vale-tudo de monopostos de ponta do automobilismo mundial.

O grid da BOSS GP é bem variado com carros como Dallara GP2/11 (branco), Benetton B197 (azul e branco), Forti FG03 (verde). Fonte: Divulgação BOSS GP.

O grid da BOSS GP é bem variado com carros como Dallara GP2/11 (branco), Benetton B197 (azul e branco), Forti FG03 (verde). Fonte: Divulgação BOSS GP.

No último fim de semana foi disputado o Peroni Race Weekend, terceira etapa do campeonato 2016 da BOSS GP, no formato de duas baterias. No sábado foi disputada a primeira, com pole do holandês Klaas Zwart com um Jaguar R5, seguido de Ingo Gerstl em um Toro Rosso STR-1, Chris Höher em um Dallara GP2 e com o também holandês Frits van Eerd em seu Minardi PS04B. Antes mesmo do início da prova o carro de Zwart teve problemas, o que o obrigou a largar dos pits,  e logo na largada um acidente com vários carros obrigou a entrada do safety-car. Quando o carro de segurança estava prestes a entrar nos pits, uma chuva torrencial começou a cair, o que levou a interrupção da prova, de forma que o resultado final foi a vitória de Klaas Zwart, com van Eerd em segundo e Höher em terceiro.

Ingo Gerstl correndo para a vitória na primeira bateria em Monza. Fonte: Divulgação BOSS GP.

Ingo Gerstl correndo para a vitória na primeira bateria em Monza. Fonte: Divulgação BOSS GP.

No domingo a segunda bateria foi realizada, com Gerstl em primeiro, van Eerd em segundo e Höher em terceiro, e logo no início quem abandonou foi o Toro Rosso STR-1 de Ingo Gerstl. Com isso o caminho ficou livre para van Eerd que começou a abrir vantagem para o pelotão. Segundos depois aconteceu um dos acidentes mais impressionantes do ano, entre o Benetton B197 de Wolfgang Jordan e o Panoz DP01 ChampCar de Peter Milavec. Além dos dois, Bernd Herndholfer não viu o Jaguar R5 de Klaas Zwart parando devido ao acidente e ambos os pilotos também já ficaram de fora.

Livre dos incidentes iniciais, van Eerd seguiu liderando a prova com o francês Christopher Brenier o seguindo de perto com seu Panoz DP09 da extinta Fórmula Superliga, para uma vitória apertada com margem de apenas 0s450. Fechando o pódio chegou herói local Salvatore de Plano com um Dallara GP2. Com isso, pela primeira vez um carro da Minardi foi vencedor em uma corrida oficial da FIA, de uma forma que condiz com os ideais de perseverança e trabalho duro pelo qual a pequena italiana é reconhecida e amada por seus fãs.

O holândes van Eerd comemorando a vitória na segunda bateria, seguido pelo francês Christopher Brenier. Fonte: Divulgação BOSS GP.

O holândes van Eerd comemorando a vitória na segunda bateria, seguido pelo francês Christopher Brenier. Fonte: Divulgação BOSS GP.

Fontes:

Van Eerd gets maiden victory at Monza – Brenier back on top. Disponível em: http://bossgp.com/van-erd-gets-maiden-victory-at-monza-brenier-back-on-top/. Acessado em: 07/07/2016.

Gerstl and Höher win red flagged race. Disponível em: http://bossgp.com/gerstl-and-hoher-win-red-flagged-race/. Acessado em: 07/07/2016.

Zwart and Höher get Monza pole. Disponível em: http://bossgp.com/zwart-and-hoher-get-monza-pole/. Acessado em: 07/07/2016.