Endurance Brasil – 4 Horas de Interlagos

O final de semana dos dias 7 e 8 de setembro promete um grande espetáculo para os fãs do esporte a motor, com a realização do Racing Weekend no Autódromo Internacional José Carlos Pace. A expectativa é de que mais de 200 máquinas de diversas categorias do automobilismo nacional. Estão confirmadas provas das seguintes categorias:

  • Endurance Brasil
  • Turismo Nacional
  • Gold Classic
  • Opala 250
  • Old Stock
  • Fórmula 1600
  • Fórmula Vee
  • Fórmula Inter
  • Fórmula Academy SUDAM

Pela Endurance Brasil, a prova estava prevista para ser realizada no Velocittà, porém o local de realização foi modificado para que ao invés de competir, a categoria pudesse agregar público e mídia ao evento realizado nos 4.309 metros do Autódromo Internacional José Carlos Pace. Baseado no histórico das provas de 2017 e 2018, podemos esperar um grid com cerca de 40 carros, já que muitos competidores paulistas de categorias como a Força Livre costumam participar das etapas realizadas em Interlagos.

A pista paulista tem um longo histórico de competições de longa duração, com provas como as tradicionais Mil Milhas Brasileiras e os 500 km de São Paulo, além de provas que fizeram parte do WEC e Le Mans Series. Entre as provas de nível nacional, predominam as vitórias de modelos Gran Turismo, porém os protótipos da categoria P1 pintam como favoritos após três vitórias em quatro provas nessa temporada.

O recorde absoluto da pista é de 1m07s281, estabelecido por Lewis Hamilton no treino classificatório para o GP do Brasil do ano passado. Dentre as categorias brasileiras, o recorde é de Matheus Iorio pela Fórmula 3, com um tempo de 1m28s129, que tem grandes chances de ser quebrado nessa prova.

Após a chuvarada da etapa do Velopark, o clima parece que vai colaborar para o evento, com previsão de temperaturas moderadas e baixa chance de chuva durante todo o final de semana.

Programação do Final de Semana

05 de setembro – Quinta-feira

08h00 às 08h40 – Primeiro Treino Livre Fórmula
08h40 às 10h30 – Primeiro Treino Livre Turismo
10h30 às 11h10 – Segundo Treino Livre Fórmula
11h10 às 11h55 – Terceiro Treino Livre Fórmula
12h00 às 13h40 – Segundo Treino Livre Turismo
13h40 às 14h40 – Primeiro Treino Livre Endurance
14h40 às 16h30 – Terceiro Treino Livre Turismo
16h30 às 17h00 – Quarto Treino Livre Fórmula
17h00 às 18h00 – Segundo Treino Livre Endurance

06 de setembro – Sexta-feira

07h30 às 07h55 – 1º Treino Livre Fórmula Inter + Fórmula Academy SUDAM
08h00 às 08h30 – 1º Treino Livre Gold Classic
09h15 às 10h15 – 1º Treino Livre Endurance Brasil
10h20 às 10h50 – 1º Treino Livre Fórmula Vee + Fórmula 1.600
10h55 às 11h25 – 2º Treino Livre Gold Classic
11h30 às 12h15 – 2º Treino Livre Turismo Nacional
12h20 às 13h05 – 2º Treino Livre Endurance Brasil
13h15 às 13h45 – 2º Treino Livre Fórmula Vee + Fórmula 1.600
13h50 às 14h20 – 3º Treino Livre Gold Classic
14h25 às 15h15 – 3º Treino Livre Turismo Nacional
15h20 às 16h20 – 3º Treino Livre Endurance Brasil
16h30 às 16h55 – 2º Treino Livre Fórmula Inter + Fórmula Academy SUDAM
17h00 às 17h10 – Classificatório Grupo 1 Gold Classic
17h15 às 17h25 – Classificatório Grupo 2 Gold Classic
17h30 às 17h45 – Classificatório Endurance Brasil
17h45 às 18h00 – Classificatório Endurance Brasil
18h00 às 18h15 – Classificatório Endurance Brasil
19h30 às 20h30 – 4º Treino Livre Noturno Endurance Brasil

07 de setembro – Sábado

07h30 às 07h45 – Classificatório G1 Fórmula Inter + Fórmula Academy SUDAM
07h50 às 08h05 – Classificatório Fórmula Vee + Fórmula 1.600
08h10 às 08h20 – Classificatório Classe 1 Turismo Nacional
08h25 às 08h35 – Classificatório Classe 2 Turismo Nacional
08h45 às 08h50 – Abertura dos boxes Prova 1 Gold Classic
08h50 às 09h20 – Prova 1 Gold Classic
09h40 às 09h45 – Abertura dos boxes Prova 1 Fórmula Vee + Fórmula 1.600
09h45 às 10h15 –Prova 1 Fórmula Vee + Fórmula 1.600
10h30 às 10h35 – Abertura dos boxes Classe 1 Turismo Nacional
10h35 às 10h40 – Placa de 5 minutos Classe 1 Turismo Nacional
10h40 às 11h00 – Prova 1 Classe 1 Turismo Nacional
11h05 às 11h10 – Placa de 5 minutos Classe 1 Turismo Nacional
11h10 às 11h30 – Prova 2 Classe 1 Turismo Nacional
11h40 às 11h45 – Abertura dos boxes Classe 2 Turismo Nacional
11h45 às 11h50 – Placa de 5 minutos Classe 2 Turismo Nacional
11h50 às 12h10 – Prova 1 Classe 2 Turismo Nacional
12h15 às 12h20 – Placa de 5 minutos Classe 2 Turismo Nacional
12h20 às 12h40 – Prova 2 Classe 2 Turismo Nacional
12h50 às 13h05 – Classificatório G1 Fórmula Inter + Fórmula Academy
13h10 às 13h50 – Treino Livre Opala 250SUDAM
13h55 às 14h25 – Warm Up Endurance Brasil
14h30 às 14h35 – Abertura dos boxes Gold Classic
14h35 às 15h05 – Prova 2 Gold Classic
15h10 às 15h15 – Abertura dos boxes Prova 2 Fórmula Vee + Fórmula 1.600
15h15 às 15h45 – Prova 2 Fórmula Vee + Fórmula 1.600
15h45 às 16h30 – Promocional Endurance Brasil
16h30 às 16h40 – Abertura dos boxes Endurance Brasil
16h40 às 16h45 – Placa de 5 minutos Endurance Brasil
16h42 às 16h45 – Volta de Apresentação Endurance Brasil
16h45 às 20h45 – 4 Horas de Interlagos
21h00 às 22h00 – Rallye Clássicos e Modernos
22h00 às 00h00 – Track Day Night

08 de setembro – Domingo

07h30 às 08h00 – Treino/Classificatório Clássicos de Competição
08h05 às 08h25 – Classificatório Opala 250
08h30 às 08h35 – Abertura dos boxes Prova 1 Fórmula Inter
08h35 às 09h00 – Prova 1 Fórmula Inter
09h10 às 09h15 – Abertura dos boxes Classe 1 Turismo Nacional
09h15 às 09h20 – Placa de 5 minutos Classe 1 Turismo Nacional
09h20 às 09h40 – Prova 1 Classe 1 Turismo Nacional
09h50 às 09h55 – Placa de 5 minutos Classe 1 Turismo Nacional
09h55 às 10h15 – Prova 2 Classe 1 Turismo Nacional
10h25 às 10h30 – Abertura dos boxes Classe 2 Turismo Nacional
10h30 às 10h35 – Placa de 5 minutos Classe 2 Turismo Nacional
10h35 às 10h55 – Prova 1 Classe 2 Turismo Nacional
11h05 às 11h10 – Placa de 5 minutos Classe 2 Turismo Nacional
11h10 às 11h30 – Prova 2 Classe 2 Turismo Nacional
11h40 às 11h45 – Abertura dos boxes Prova 1 Fórmula Academy SUDAM
11h45 às 12h10 – Prova 1 Fórmula Academy SUDAM
12h20 às 12h25 – Abertura dos boxes Prova 1 Opala 250
12h25 às 12h55 – Prova 1 Opala 250
13h05 às 13h10 – Abertura dos boxes Clássicos de Competição
13h10 às 13h40 – Prova Clássicos de Competição
13h55 às 14h00 – Abertura dos boxes Prova 2 Fórmula Inter
14h00 às 14h25 – Prova 2 Fórmula Inter
14h35 às 14h40 – Abertura dos boxes Prova 2 Fórmula Academy SUDAM
14h40 às 15h05 – Prova 2 Fórmula Academy SUDAM
15h10 às 15h15 – Abertura dos boxes Prova 2 Opala 250
15h15 às 15h45 – Prova 2 Opala 250
16h00 às 18h00 – Time Attack

Para quem desejar comparecer ao evento, as arquibancadas terão entrada livre, enquanto os ingressos para o camarote podem ser encontrados no Sympla, a um preço de R$ 200 por entrada. Aqueles que quiserem acompanhar online podem fazê-lo pelo canal do YouTube da Endurance Brasil, pelo Facebook ou pelo site da categoria.

Papo de paddock

Nas últimas semanas temos muitas novidades sobre novos participantes, provas e mudanças no Endurance Brasil, tanto para a temporada atual quanto para o próximo ano.

Primeiro, foi anunciada uma nova mudança no calendário, com a sexta etapa que era prevista para acontecer em Santa Cruz do Sul sendo transferida para Goiânia.

View this post on Instagram

⚠️ Te liga nas alterações 🏁

A post shared by @imperioendurancebrasil (@imperioendurancebrasil) on

Dentre os competidores, a principal novidade é a mudança do carro #88, vencedor da primeira etapa e que aparecer em Interlagos com nova pintura e carregando o número 43 de Vicente Orige, que será acompanhado pelos pilotos Raphael Campos e Gustavo Martins.

Já nesta etapa, é prevista a estréia de facto do protótipo Roco 001-Hayabusa, desenvolvido por Robbi Perez e Jose Cordova. O modelo, que chegou a treinar na etapa de Goiânia passou por extensivo programa de treinos e agora promete estar pronto para competir pela categoria P3, conforme informações do Velocidade Curitiba.

Mudança também para Henry Visconde, que vinha competindo na categoria GT4 com o Audi RS3 TCR #63, que porém não era capaz de manter o mesmo ritmo dos Mercedes e Ginettas GT4. Para a quinta etapa, a equipe Eurobike trará de volta a BMW M3 E92 GTR V8 com a qual o piloto competiu na temporada 2017 da Endurance Brasil.

A Bana Racing também promete voltar às pistas, talvez já na etapa de Interlagos, com o sempre veloz Predador-Audi Turbo #35 da categoria P2.

A AVMotorsports recentemente anunciou que a estréia do protótipo Pegaso R, prevista para esta etapa, será postergada para a temporada 2020. Enquanto isso, a equipe adquiriu um protótipo Spyder com motorização Subaru, que deve competir na categoria P4 à partir da etapa de Santa Cruz do Sul, para ganhar experiência com a dinâmica das competições de Endurance.

View this post on Instagram

No último dia 23 de julho, nosso piloto e chefe de equipe teve a hora e o prazer de apresentar o projeto da construção do Pegaso R aos pais do único carro de Fórmula 1 Brasileiro, o ex piloto Wilson Fittipaldi Jr. e ao projetista Ricardo Divila. Segundo palavras dos dois: "Que carro e que projeto". Nossa programação de finalização do carro era neste mês de agosto e a estreia no dia 07 de setembro. Após muito papo e muita análise e respeitando muito essas duas lendas, decidimos dar continuidade construção do carro, mesmo pq recebemos um feedback positivo e que estamos no caminho certo, porém foi recomendado a nós fazermos as coisas com calma para não cometermos erros. Assim sendo compramos um Spyder para treinar a equipe e aprendermos mais sobre as corridas de Endurance a estreia do Pegaso R ficará 2020. Vamos a todo vapor para refazer o nosso Spyder do zero com as melhores peças e no futuro muito proximo esse carro servirá de escola para novos pilotos no Endurance. "Foi uma honra ter nosso carro analisado pelo Ricardo, tenho uma amizade com Wilson há 25 anos. Porém o Ricardo conheci pessoalmente esse mês e a sinergia foi sensacional além disso me senti lisonjeado quando o Ricardo me pediu para fazer alguns desenhos de suspensao para ele", comenta Andrey Valerio. Iremos postar toda a reconstrução do Spyder, nossa preparação e nossas participação nas corridas do Endurance Brasil em 2019, a previsão para a nossa primeira corrida é partir da etapa de Santa Cruz do Sul / RS no dia na categoria P4. #automobilismo #racing #motorsport #race #interlagos #brasil #automobilismobrasil #corrida #formula1 #stockcar #wec #imsa #elms #imperioendurancebrasil #unip #unipribeiraopreto #engenhariamecanica #patrocinio #sponsorship #sportprototipo #racingcar #racecarengeering #avmotosports #blackbrasil #thegentlemandrive #fia

A post shared by AVMotorsports (@avmotorsports_) on

Além disso, a equipe paulista anunciou o piloto Charles Camargo como reforço para as 6 Horas de Interlagos, prova que será disputada no dia 22 de dezembro.

View this post on Instagram

Charles Camargo, novo piloto da AVMotorsports. Ele irá dividir o cockpit de nosso carro nas 6 horas de Interlagos no dia 22 de dezembro na 8a. Etapa do Campeonato Brasileiro de Endurance. "Dividir o carro e ser chefe de equipe do Charles será uma grande honra, ele se mostrou extremamente rápido nos treinos e nas corridas de Fórmula Vee, me impressiona nele o foco e a dedicação", comenta Andrey Valerio, piloto e chefe de equipe da AVMotorsports. O piloto Charles Camargo tem o seu gerenciamento de carreira feito pela empresa LRM. "Fiquei extremamente contente com o vinda do Charles, isso é prova do reconhecimento e confiança da LRM no trabalho que estamos fazendo seja no Endurance, como o meu trabalho em outras categoria. Esse será um primeiro teste para sermos a equipe parceira da LRM nas provas de Endurance", complementa Andrey Valerio. Os trabalhos não param, além da preparação do carro para a estreia na corrida de Santa Cruz do Sul no dia 12/10, as negociações para a terceira vaga no carro para as 6 horas de Interlagos está muito bem avançada. "O piloto que estamos negociando a outra vaga está sendo uma revelação em 2019, fizemos uma carta convite a ele, e se conseguirmos finalizar alguns trâmites burocráticos ele completará o trio do nosso carro, será outra grande alegria porque faremos história e mudaremos alguns conceitos das corridas de Endurance", diz nosso chefe de equipe. #automobilismo #racing #motorsport #race #interlagos #brasil #automobilismobrasil #corrida #formula1 #stockcar #wec #imsa #elms #imperioendurancebrasil #unip #unipribeiraopreto #engenhariamecanica #patrocinio #sponsorship #sportprototipo #racingcar #racecarengeering #avmotosports #blackbrasil #thegentlemandrive #fia

A post shared by AVMotorsports (@avmotorsports_) on

Outra novidade, agora para a temporada 2020 é a possível volta das Mil Milhas Brasileiras. O assunto ainda está em discussão com a CBA e a FASP, mas planeja-se que a prova ainda no primeiro semestre de 2020, com possibilidade de contar como etapa do Endurance Brasil, conforme apurado pelo Racemotor (link nas referências).

Largada Mil Milhas Brasileiras

Mais uma novidade, que também deve ficar para a próxima temporada é o retorno da Puma Automóveis às ruas e também às pistas. Atualmente os responsáveis pelo renascimento da marca estão trabalhando em duas frentes: uma é o modelo P053 para as ruas, e outra o P052 para as pistas (link para o site da nova Puma nas referências).

Puma P052

O modelo de competição ainda está em fase de testes, pelas mãos do piloto Gabriel Maia, e atualmente conta com um motor EA111 1.6 8V, com cerca de 140 cv, aliado a uma transmissão manual de 5 marchas VW. Segundo a Puma, esse powertrain está sendo utilizado apenas na fase inicial de teste, e será substituído por um de melhor desempenho na versão final do carro. Ainda assim, a estrutura tubular garante um baixo peso e a aerodinâmica a boa estabilidade, como pode ser visto no vídeo abaixo, onde mesmo com pneus radiais o P052 consegue acompanhar o protótipo Spyder no contorno do S do Senna:

Ligier JS P3 LMP3

Novas informações também surgiram sobre a chegada de um ou mais modelos Ligier JS P3 ao Brasil. Emergiu que a Oreca Dealer Brasil (representante da marca francesa no Brasil) também conseguiu os direitos de representação dos modelos Ligier no país, e hoje têm duas unidades do protótipo à disposição. A um custo de aquisição próximo ao de um GT3, com certeza são uma opção muito interessante para competidores buscando entrar na disputa por vitórias no campeonato brasileiro. Na área de referências ao fim da reportagem você pode encontrar o link para a reportagem completao do site Ecoesporte.

Chevy Monte Carlo Late Model

Outra opção de bólido disponível no país e que poderia fazer parte das competições do Endurance Brasil é o protótipo Super V8, um legítimo stock car Chevy Monte Carlo, enquadrado no regulamento super late model americano. Apesar de ser um modelo desenvolvido inicialmente para competições em ovais, não é incomum a presença desse tipo de carro em competições em circuitos mistos, muitas vezes dando trabalho para GTs e protótipos. Com estrutura tubular, peso por volta de 1.250 kg e mais de 600 HP de motores V8 big block. Hoje o regulamento não prevê a entrada este tipo de carro, mas não é difícil imaginar que caso haja alguma equipe interessada, o modelo possa ser incluído em uma das categorias, provavelmente na categoria GT3 Light, que hoje já permite a inscrição de carros da Stock Car. Por enquanto, tal qual o Puma, o Super V8 segue em teste competindo em algumas provas da categoria Força Livre do campeonato paulista de automobilismo (link para o site da Super V8 nas referências).

Por fim, na transmissão da última etapa o piloto Marcel Visconde deixou escapar que o ciclo de vida do Porsche 911 GT3 R da equipe chega ao final nesse ano, e que a Stuttgart já está de olho em um novo modelo para a temporada 2020. Atualmente a Stuttgart/Eurobike é representante de marcas como Porsche, Audi, BMW e McLaren no Brasil. As duas opções com maior probabilidade de chegar na próxima temporada seriam os modelos Porsche 911 GT3 R (991-2) e McLaren 720S GT3, ambos lançados na atual temporada.

Porsche 911 GT3 R Evo
McLaren 720S GT3

Em alternativa, poderia ser trazido ainda o Audi R8 LMS GT3 Evo, que também foi recentemente apresentado no Salão de Paris.

Audi R8 LMS GT3 Evo

Fontes

Mil Milhas podem voltar ao calendário já em 2020. Disponível em:
https://racemotor.com.br/2019/08/21/mil-milhas-pode-voltar-ao-calendario-brasileiro-ja-em-2020/

Puma Automóveis: Disponível em: http://novo.pumaautomoveis.com.br/

O Brasil na era das supermáquinas – Supermáquinas a caminho do Brasil? Disponível em: https://ecoesporte.com.br/o-brasil-na-era-da-super-maquinas-super-maquinas-a-caminho-do-brasil/

Super V8. Disponível em: https://www.superv8.com.br/

GT Legends – Mazda Demio (DW)

Se você cresceu entre os anos 1990 e 2000, é muito provável que tenha jogados os jogos da série Gran Turismo para PlayStation. Eu me enquadro nesse grupo, e mais do que o próprio jogo, sempre fui atraído pela grande variedade de carros, a maioria dos quais jamais havia ouvido falar. Numa época onde Internet ainda era algo restrito, ter acesso a informações sobre essa grande variedade de carros aguçava minha curiosidade, e com certeza teve um papel importante na minha decisão por cursar Engenharia Mecânica e me dedicar a área automotiva.

O tempo passou, e hoje informações sobre praticamente qualquer assunto são acessíveis através de alguns cliques, então resolvi partir numa jornada de pesquisa para conhecer mais a fundo alguns veículos que marcaram minha experiência nas diversas iterações da franquia Gran Turismo. O resultado dessa busca virá na forma de artigos, cobrindo as principais curiosidades técnicas, e comparando os modelos a veículos similares mais conhecidos, sejam eles nacionais ou importados.

Para iniciar, o primeiro modelo será o Mazda Demio de primeira geração, que era o prêmio da Sunday Cup, primeiro campeonato que podia ser disputado em Gran Turismo 1.

Mazda Demio (DW)

Primeiro é importante localizar o Demio na linha do tempo da história da Mazda. Em 1994 as vendas da marca haviam caído 31% em relação aos números de 1990, despencando de cerca de 1,4 milhões de carros por ano para cerca de 980 mil, principalmente devido a crise imobiliária que assolou o Japão nessa época. Ao mesmo tempo, o mercado ainda apresentava espaço para automóveis compactos, onde a Mazda tinha presença forte com o Revue, que era comercializado pela marca Autozam, criada no início dos anos 90 para vender kei cars e modelos compactos no mercado japonês.

Lançado em 1990, o Autozam Revue também foi vendido como Mazda 121 em mercados fora do Japão. Fonte: productioncar.com [1].

Percebendo que o perfil do consumidor desse tipo de carro estava mudando, o Demio foi desenvolvido sobre a plataforma DW da Mazda, uma evolução da plataforma D criada em 1986 e aplicada em diversos carros, como o próprio Revue. Com isso o tempo e custos de desenvolvimento puderam ser reduzidos, através do uso de diversos componentes já aplicados em outros modelos, e o time de engenharia pode se concentrar no design e arquitetura, que foi apresentado um ano antes do lançamento no mercado japonês no carro conceito BU-X apresentado no Salão de Tóquio de 1995.

Mazda BU-X sendo apresentado durante o Salão de Tóquio de 1995. O design já trazia traços da onda dos aventureiros urbanos que se popularizou no final da década. Fonte: teacup [2].

Comparando os dois modelos, a quebra de paradigma foi enorme, saindo de um pequeno sedã estilo bubble car (estilo de carros arredondados, muito comum na época), para um estilo mais quadrado, trazendo elementos das minivans para o segmento de hatchbacks.

O Demio de produção manteve as linhas gerais do conceito BU-X, mas de forma menos rebuscada. Fonte: silverdice.us [3].

O nome Demio foi derivado do latim meus, um pronome possessivo similar ao pronome “meu” do português, e a recepção não poderia ter sido melhor. Já no ano de lançamento recebeu o prêmio RJC de melhor carro do ano, e as vendas decolaram, chegando a mais de 100 mil unidades em ano de produção, o que o levou a ser chamado de “salvador da Mazda”, que enfrentava graves problemas financeiros após a crise econômica que assolou o Japão no início da década de 90. O pequeno carro foi vendido em diversos mercados com os mais variados nomes: Mazda 121 Metro na Austrália, Ford Festiva Mini Wagon no Japão, Mazda 121 na Europa, sendo fabricado no Japão, Espanha e na Colombia até 2005.

Fonte:carsguide.com.au [4].

Construção e desempenho

Comparado aos carros brasileiros da mesma época, o Demio apresenta construção e dimensões similares, a exceção da altura consideravelmente maior, e da capacidade do porta-malas, ambos motivados pelo design estilo minivan.

As dimensões e linhas gerais do Demio, por sinal, inspiraram diversos modelos que foram lançados na virada dos anos 2000, tanto no mercado japonês quanto em outros mercados.

Também por causa da maior altura da carroceria, chama a atenção a elevada resistência ao rolamento a 100 km/h, motivada principalmente pela maior área frontal, já que o coeficiente aerodinâmico declarado está na média do veículos dessa categoria. Isso ajuda a explicar em parte a menor velocidade máxima, mesmo tendo um motor mais potente que qualquer similar brasileiro.

Já a aceleração, devido ao baixo peso, está em linha com os modelos brasileiros, apesar de também não ser um destaque.

O sistema de suspensão apresenta a solução típica encontrada em carros compactos, independente do tipo McPherson na dianteira e por eixo rígido na traseira, com o refino de discos de freio ventilados na dianteira e os tradicionais tambores na traseira. O grande diferencial é a atenção dada a segurança passiva, presente na forma de ABS e air-bag para motorista de série, algo que impensável no Brasil dos anos 1990.

Internamente, o Demio inovou o mercado de carros pequenos, trazendo características que até então não existiam no segmento. Versatilidade foi uma palavra-chave no desenvolvimento, com direito a bancos traseiros bipartidos e corrediços, com curso de deslizamento de 60 mm, permitindo otimizar o espaço no porta-malas ou para os passageiros.

Em vermelho detalhe da alavanca que permite o avançamento total do banco traseiro.

O sistema de rebatimento dos bancos traseiros do Demio, por sinal, merece atenção a parte. Além do sistema de rebatimento convencional, os encostos de cabeça podem ser retirados, e com o acionamento de uma pequena alavanca sob o banco traseiro esquerdo o conjunto todo pode ser avançado até praticamente encostar nos bancos dianteiros. Outro par de alavancas permite destravar o banco para dobrá-lo, de forma a liberar o máximo de espaço para cargas.

O resultado desse sistema: com os bancos traseiros completamente dobrados e avançados, o espaço para bagagens sobe para impressionantes 679 litros, e com o benefício de um fundo completamente plano, uma condição respeitável para um hatchback compacto.

Fonte: NetCarShow.com [5].

Além disso, os bancos dianteiros e traseiros podem ser totalmente reclinados, uma solução similar a presente na primeira geração do Renault Twingo de 1992.

Fonte: cars-data.com [6].

No painel, o estilo é típico dos compactos dos anos 90, com linhas arredondadas e abundância de plásticos duros. Os mostradores resumem-se ao mínimo, com velocímetro, hodômetro total e parcial, e marcadores de temperatura do líquido de arrefecimento e nível de combustível. No console central fica posicionado o rádio, um relógio digital e um pequeno porta-objetos, e logo abaico ficam os controles do ar-condicionado.

De série todas as versões vinham equipadas com ar-condicionado manual e rádio com CD player. O acabamento e o padrão dos materiais, contudo, não é nada surpreendente, sendo similar ao empregado em carros da mesma categoria no Brasil. Chama a atenção, porém, a presença de retrovisores com ajuste e rebatimento elétrico, algo que ainda hoje não é presente nos compactos nacionais.

Fonte: cars-data.com [6].

Motor

O Demio foi vendido com duas opções de motores da série B de motores Mazda.Essa família de motores foi lançada em 1985, e entre outros, engloba os motores que equiparam o Mazda MX-5/Roadster entre 1989 e 2005.

Adaptado de: b-parts.com [7].

O compacto, no entanto,  recebeu versões bem mais mansas, na forma dos motores B3-ME e B5-ME, respectivamente com 1,3 e 1,5 litros de deslocamento. Esses motores eram relativamente modernos em 1996, contando com blocos de ferro fundido, cabeçotes SOHC de alumínio, 16 válvulas e injeção eletrônica multiponto. O único senão era o fato de contar com distribuidor eletrônico, algo que mesmo no Brasil já se tornava obsoleto na época.

Apesar disso, o desempenho nada deve a qualquer motor brasileiro da época (o motor Zetec-SE do Fiesta estava definitivamente um nível acima dos demais como concepção, porém este era importado da Europa e nunca foi nacionalizado no Brasil). A potência e torque desenvolvidos são impressionantes para a cilindrada, e como todo motor 16V sem mecanismos de variação de fase, tanto torque quanto potência máxima são atingidos em rotações consideravelmente elevadas.

Outra característica curiosa desse motor é o posicionamento da bomba de água. Sua voluta é integrada ao centro do bloco, porém diferente de motores como o FIRE da Fiat ou o Família 1 da GM, a bomba é acionada pela correia de auxiliares. Essa solução adiciona uma complicação a mais para a montagem e não apresenta nenhuma vantagem evidente, já que a troca da bomba d’água invariavelmente exige a retirada do sistema de sincronismo.

Fonte: 2carpros.com [8].

Mazdaspeed Demio A-spec

Chegamos agora a parte final desse post. Em 1999 a Mazda tomou para si a operação da Mazdaspeed, uma empresa especializada na preparação e venda de acessórios para veículos Mazda. Nesse mesmo ano, foi lançado o Demio A-spec, modelo mais acessível da gama da preparadora.

Fonte: iheartjapanesecars [9].

Baseado na versão GL-X, podia receber kits aerodinâmicos, molas e amortecedores mais rígidos, barras estabilizadoras, novos coletores de descarga, filtro de ar, cabos de vela e acabamento interno personalizado.

O acabamento do interior da versão A-spec difere pouco da versão GL-X, porém consegue trazer um ar mais jovial e esportivo ao modelo.

Esse era o modelo que se ganhava como prêmio da Sunday Cup do Gran Turismo 1, e que apesar de não ter um desempenho tão marcante nas pistas virtuais, com certeza está vivo na memória daqueles que jogaram GT1.

Em 2003 uma nova geração do Demio foi lançada, mantendo os pontos fortes mas se aprimorando frente a competidores mais modernos como Honda Fit e Mitsubishi Colt. Hoje o Demio (ou Mazda 2 fora do Japão) se encontra em sua quarta geração, e continua sendo um dos pilares da estratégia comercial da Mazda globalmente, estando presente em todos os continentes onde a montadora nipônica está presente.

Fontes:

Mazda Demio, disponível em: https://en.wikipedia.org/wiki/Mazda_Demio. Data de acesso: 02/11/2017.

Used Mazda 121 Review: 1996-2002, disponível em: https://www.carsguide.com.au/car-reviews/used-car-review-mazda-121-metro-1996-2002-13288. Data de acesso: 06/11/2017.

マツダスピード A-SPEC(ラスト), disponível em: http://demio.ti-da.net/e1775761.html. Data de acesso: 09/11/2017.

マツダ 1996 デミオ(DW型), disponível em: http://www.wald-licht.com/~oldcar/96_m_demio_01.html. Data de acesso: 08/11/2017.

マツダ・デミオ, disponível em: https://ja.wikipedia.org/wiki/%E3%83%9E%E3%83%84%E3%83%80%E3%83%BB%E3%83%87%E3%83%9F%E3%82%AA. Data de acesso: 10/11/2017.

1996 Mazda Demio, disponível em: http://mazda-demio.info/specs/1996_aug/specs_gl-x/. Data de acesso: 08/11/2017.

Comparativo entre Volkswagen Gol, Fiat Palio, Ford Fiesta e Chevrolet Corsa, disponível em: http://www.carrosnaweb.com.br/resultcompara.asp?modelos=243-6403-236-228. Data de acesso: 03/11/2017.

Comparativo entre Honda Fit, Ford Fiesta, Volkswagen Fox e Chevrolet Meriva, disponível em: http://www.carrosnaweb.com.br/resultcompara.asp?modelos=436-539-8136-383. Data de acesso: 04/11/2017.

Imagens:

[1]: Retirado de: Mazda Autozam Revue, disponível em: http://www.productioncars.com/gallery.php?car=9198&make=Mazda&model=Autozam. Data de acesso: 08/11/2017.

[2]: Retirado de: フェスティバミニワゴンに乗ってる, disponível em: http://green.ap.teacup.com/festivaminiwagon/6.html. Data de acesso: 08/11/20177.

[3]: Retirado de: 2000 Mazda Demio, disponível em: http://silverdice.us/2000-mazda-demio/26855/. Data de acesso: 05/11/2017.

[4]: Retirado de: Used Mazda 121 Review: 1996-2002, disponível em: https://www.carsguide.com.au/car-reviews/used-car-review-mazda-121-metro-1996-2002-13288. Data de acesso: 06/11/2017.

[5]: Retirado de: Mazda Demio (2000), disponível em: https://www.netcarshow.com/mazda/2000-demio/. Data de acesso: 09/11/2017.

[6]: Retirado de: Mazda Demio 1.3 Comfort 2000 – 2003, disponível em: http://www.cars-data.com/en/mazda-demio-1.3-comfort-specs/21877. Data de acesso: 07/11/2017.

[7]: Adaptado de: Complete Engine MAZDA DEMIO (DW) 1.5 16V, disponível em: https://www.b-parts.com/en/store/products/84870/Kompletter-Motor–MAZDA-DEMIO-DW-15-16V-75hp-B5-E-2000-2001-2002-2003. Data de acesso: 08/11/2017.

[8]: Retirado de: 1994 Mazda 121 car overheating, disponível em: https://www.2carpros.com/questions/1994-mazda-121-car-overheating. Data de acesso: 06/11/2017.

[9]: Retirado de: 96-02 1st gen Mazda Demio (DW3W/DW5W), disponível em: https://iheartjapanesecars.wordpress.com/2016/03/09/96-02-1st-gen-mazda-demio-dw3w-dw5w/. Data de acesso: 07/11/2017.

 

 

 

Vison GT #01: Mercedes-Benz AMG Vision Gran Turismo

Como parte da comemoração do aniversário de 15 anos do lançamento da primeira versão de Gran Turismo, a Polyphony Digital convidou diversas montadoras para que, através de seus times de engenharia, dessem uma visão sobre aquilo que veem como tendência para o futuro da indústria automobilística. Essa iniciativa vem desde então brindando o mundo com máquinas incríveis, e  até mesmo alguns modelos de produção tem carregado em seu DNA inspiração tomada das máquinas virtuais. Esta série de postagens é dedicada a esses modelos e suas histórias e características.

#01 – Mercedes-Benz AMG Vision Gran Turismo

Sketch do Mercedes AMG Vision. Fonte: gran-turismo.com [1].

Sketch do Mercedes AMG Vision. Fonte: gran-turismo.com [1].

O primeiro modelo a ser lançado dentro da iniciativa Vision Gran Turismo proporcionou uma abertura em grande estilo. O AMG Vision Gran Turismo foi apresentado em 20 de novembro de 2013. Exibido pela primeira vez no Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da Mercedes-Benz próximo a San Jose, California. A apresentação foi realizada pela equipe de desenvolvimento da montadora alemã junto ao produtor da franquia Gran Turismo, Kazunori Yamauchi, e depois disso um modelo estático foi exposto no Los Angeles Auto Show.

O time de design teve em mente um grande felino se preparando para um ataque ao esculpir as linhas, visando conferir a mesma elegância e senso de alerta ao protótipo. A carroceria é composta por um longo capô e possui uma alternância de curvas, onde é possível perceber as proporções clássicas dos carros esportivos da Mercedes-Benz, como os recentes SLR McLaren e SLS AMG, além das sempre incríveis portas asa-de-gaivota e de uma grade frontal inspirada pelo icônico Mercedes-Benz 300SL, um carro que pode ser considerado o antecessor dos supercarros. Um dos grandes destaques do modelo, por sinal é que a grade dianteira é composta inteiramente por LEDs, capazes de acender independentemente umas das outras em uma variedade de padrões.

Mercedes-Benz 300 SL & AMG Vision

Mercedes SLR & AMG Vision

Mercedes SLS AMG & AMG Vision

Já a construção é uma estrutura spaceframe de alumínio com componentes de fibra de carbono, resultando em um baixo peso de 1385 kg. Esse baixo peso, aliado a uma versão otimizada do motor AMG V8 5.5, com 584 cv e torque de 800 N.m @ 2000-4500 rpm resulta em um desempenho empolgante, digno dos maiores supercarros da atualidade. O som do motor recebeu um tratamento especial do time da Mercedes-Benz, com um sistema especialmente projetado com oito saídas de descarga independentes integradas nas lanternas traseiras. A suspensão é independente nas quatro rodas, com um diferencial de deslizamento limitado controlado eletronicamente garantindo a tração nas rodas traseiras, e freios a disco ventilados nas quatro rodas.

Ainda em 2013, a empresa J & S Worldwide Holdings anunciou que faria seis réplicas não oficiais do Mercedes AMG Vision Gran Turismo, usando como base um SLS AMG GT e substituindo a carroceria por uma nova, totalmente em fibra de carbono replicando o incrível carro conceito alemão.

AMG Vision GT Racing Series

Em janeiro de 2014 uma segunda versão foi apresentada aos jogadores, o chamado Mercedes-Benz AMG Vision Gran Turismo Racing Series, criado como a versão de corridas do modelo. Essa versão carrega a maioria dos elementos estilísticos do AMG Vision, substituindo a asa retrátil traseira por uma do tipo fixo para aumentar o downforce e as câmeras laterais de ré por retrovisores convencionais. O motor foi retrabalhado para render 599 cv e a transmissão de dupla embreagem de 7 marchas foi substituída por uma transmissão sequencial do tipo dog-clutch. Outro toque de exclusividade adicionado foi o logotipo da franquia Gran Turismo inserido nas luzes de freio traseiras. O protótipo permanece até hoje como um dos mais belos e impressionantes da série Vision Gran Turismo.

Fontes:

Mercedes-Benz AMG Vision Gran Turismo revelado como primeiro da série Vision Gran Turismo. Disponível em:http://www.gran-turismo.com/br/news/00_8207953.html. Data de acesso: 12/05/2016.

Revelação do Mercedes-Benz AMG Vision Gran Turismo Racing Series. Disponível em: http://www.gran-turismo.com/br/news/00_1832104.htmlhttp://www.gran-turismo.com/br/news/00_1832104.html. Data de acesso: 12/05/2016.

Mercedes-Benz Vision Gran Turismo. Disponível em: https://www.mercedes-benz.com/en/mercedes-benz/design/mercedes-benz-amg-vision-gran-turismo/. Data de acesso: 13/08/2016.

Pattni, Vijay: Mercedes’ Vision GT: now for sale. Disponível em: http://www.topgear.com/car-news/gaming/mercedes%E2%80%99-vision-gt-now-sale. Data de acesso: 12/05/2016.

Imagens:

[1]: Retirado de: Mercedes-Benz AMG Vision Gran Turismo revelado como primeiro da série Vision Gran Turismo. Disponível em:http://www.gran-turismo.com/br/news/00_8207953.html. Data de acesso: 12/05/2016.