Explicando as categorias do automobilismo mundial – parte 5

Nessa série de postagens estamos conhecendo as diferentes categorias que compõe o automobilismo mundial. Começamos conhecendo as principais categorias de Fórmula, passando pelas categorias FIA, IndyCar e por outras categorias de ponta do automobilismo mundial. Ainda que a FIA e a IndyCar tenham sua própria ladeira de categorias, para permitir a formação de novos talentos para os grids das categorias principais, existem um grande espaço para que outras categorias com desempenho e custos mais limitados, que sirvam de porta de entrada para pilotos recém saídos do kartismo. Uma forma de exercer esse controle é através de categorias monomarca, onde motores, transmissões e em alguns casos até o chassi são padronizados, permitindo que o talento dos pilotos seja o grande fator decisivo nos resultados.

Fórmula Renault

A Fórmula Renault é na verdade um conjunto de categorias fundado em 1971, e uma principais categorias escola com maior reconhecimento internacionalmente. Diversos pilotos conhecidos passaram pela categoria, porém um dos grandes destaques é o finlandês Kimi Raikkonen, que fez a transição direta da F Renault 2.0 para a equipe Sauber de F1 em 2002.

Atualmente, duas categorias compõe a Fórmula Renault: a Fórmula Renault 1.6, com motor K4M de 140 HP e a Fórmula Renault 2.0, com chassi Tatuus e motor FR4 de 210 HP, porém no passado existiu a Fórmula Renault 3.5, com motores Zytek 3.5 de 530 HP, rivalizando com a F3000 e posteriormente a GP2 como último degrau antes da F1.

Fórmula Ford

A Fórmula Ford é uma categoria que se origina nos anos 60, na escola de pilotagem britânica de Jim Russell, como forma de proporcionar uma categoria acessível aos pilotos fazendo a transição do kartismo. Diferente de outras categorias escola, normalmente a Fórmula Ford permite a competição de diversos fabricantes de chassi, e ainda que os motores sejam iguais as equipes tem liberdade de escolher os preparadores.

Os carros de Fórmula Ford se diferenciam dos demais fórmulas por não utilizarem apêndices aerodinâmicos e utilizarem pneus radiais (similares aos de carros de rua), ao invés dos slicks de competição que outras categorias empregam. Diferente de outras categorias também, os Fórmula Ford ainda mantém construção tubular, não tendo migrado para os chassis de carbono para conter custos.

Campeonatos de Fórmula Ford são disputados por todo o mundo, e são uma das principais portas de entrada de jovens pilotos ao automobilismo. Daqui do Brasil, um certo Ayrton Senna iniciou sua carreira europeia vencendo o campeonato britânico de Fórmula Ford.

Fórmula Vee

A Fórmula Vee tem origem na década de 1960, quando Hubert Brundage, proprietário de uma concessionária VW nos Estados Unidos buscava uma forma de reforçar a marca com os clientes americanos. Para isso, alguns carros foram construídos e competiram em 1962, e já no ano seguinte o SCCA reconheceu a categoria. Desde então, a categoria se expandiu ganhando grande popularidade internacionalmente.

O carro de Fórmula V é um chassi tubular utilizando motor, transmissão, freios, suspensões e rodas originais ou modificados retirados do VW Fusca. Isso se traduz num custo baixíssimo e construção e manutenção do carro, e é um dos principais pilares da popularidade da categoria. Ao longo do tempo, a categoria evoluiu em cada localidade para se adaptar às necessidades de desempenho e disponibilidade de peças. Entre os pilotos que se destacaram com passagens pela categoria estão Emerson Fittipaldi, Nelson Piquet, Niki Lauda e Keke Rosberg.

Leave a Reply

Your email address will not be published.