NIVELANDO A ENGENHARIA

MC Tubarão X V8

O protótipo MC Tubarão X é um daqueles carros de corrida que passam por diversas mudanças, inclusive de nome, a cada novo dono que o adquire. A história desse carro começa com a Horus, equipe de provas de longa duração sediada em Santa Catarina e patrocinada pela empresa de taxi aéreo homônima e que tinha como pilotos Paulo César e Edson Machado. Inicialmente competindo nas provas de Endurance com um VW Gol da categoria IV, no início dos anos 90 os irmãos criaram um carro próprio, o Horus MV4 equipado com motor Volkswagen VR6 turbo de transmissão Hewland.

Horus MV4. Fonte: Corvette Brasil [1].

Mas além desse modelo, Paulo César Machado em 2010 ao site corvettebrasil.blogspot estar trabalhando há cerca de 7 anos em um outro modelo equipado com motor Chevrolet LS7 7 litros para fazer frente aos GTs importados que dominavam as pistas brasileiras na época.

Protótipo Horus V8 na fase de fabricação. Fonte: Corvette Brasil [1].

A estréia estava prevista para as 500 Milhas de Londrina do mesmo ano, porém efetivamente só foi ocorrer muitos anos depois, após a tradicional equipe gaúcha MC Tubarão ter adquirido o modelo, nas 12 Horas de Tarumã de 2014. Nesse processo, o carro que seria nomeado Horus Máximo passou a ser conhecido como Tubarão X, sendo pilotado pela família Sheer e Geciel “Tiel” de Andrade. Ainda nos treinos livres o sofreu um forte acidente que destruiu a seção dianteira direita do carro, após rodar no óleo deixado por um competidor na reta de largada. Mesmo assim, a equipe de Campo Bom conseguiu deixar o carro pronto a tempo da prova, e garantiu um impressionante 2º lugar na classificação geral e na Categoria I.

Acidente durante os treinos para as 12 Horas de Tarumã de 2014 destruiu boa parte da dianteira do Tubarão X. Fonte: Blog do Passatão [2].

Para a temporada 2015 esperava-se que o carro retornaria para a disputa dos campeonatos gaúcho e brasileiro de endurance, porém dificuldades no desenvolvimento do carro fizeram com que, por boa parte da temporada a família Sheer voltasse a utilizar seu protótipo MRX, enquanto a própria MC Tubarão voltou a utilizar o Tubarão IX. Finalmente o retorno às pistas aconteceu nos 800 km de Pinhais, prova válida pela Copa Brasil de Endurance. Após largar da quarta posição em uma prova marcada pela chuva intensa, o time gaúcho sagrou-se vencedor após mais de 5 horas de prova.

Quarteto vencedor dos 800 km de Pinhais de 2015. Fonte: 800 km Endurance [3].

A mesma equipe de pilotos ainda retornaria no final do ano para disputar novamente as 12 Horas de Tarumã, onde problemas relegaram o time ao 22º posto na classificação final. Após essa prova, o Tubarão X foi vendido à família Sheer, que o renomeou simplesmente como Proto V8.

Tubarão X passando aos cuidados da família Scheer. Fonte: MC Tubarão [4].

Agora encampado pela equipe Hoerlle, o protótipo retornaria às pistas apenas nas 3 Horas de Tarumã de 2017, etapa final dos campeonatos brasileiro e gaúcho. Enfrentando modelos mais modernos como o AJR, Porsche 911 GT3 R e MCR Grand Am, o potente modelo não fez feio, obtendo o sétimo melhor tempo na tomada de classificação. Em uma prova marcada pela chuva e diversas entradas do safety car, os Sheer conseguiram acertar na estratégia, e aproveitando a boa confiabilidade do modelo conseguiram chegar ao final na segunda posição geral e da categoria GP1, ficando atrás apenas do AJR #28 (que atingia ali sua primeira vitória).

Proto V8 cravando o segundo posto nas 3 Horas de Tarumã em 2017. Fonte: Endurance Brasil [5].

O bom resultado, aliado ao histórico de confiabilidade do modelo apontavam um desempenho promissor para as 12 Horas de Tarumã. Nos treinos classificatórios o time obteve o sexto posto na categoria GP1, abaixo do potencial do carro. Na prova, a família Scheer conseguiu um bom ritmo, mantendo-se sempre entre os 5 primeiros até que um incêndio acometeu o carro #26 na saída dos boxes, a menos de 1 hora do fim da prova. Ainda assim, as voltas completadas foram suficientes para a 7ª posição na classificação geral, e 4ª na GP1. Para 2018, a família Sheer adquiriu um protótipo AJR, representando o fim da linha para o Proto V8.

Equipe Hoerlle nas 12 Horas de Tarumã de 2017. Fonte: 12 Horas de Tarumã [6].

A última notícia sobre o modelo data de março de 2018, quando sua venda foi anunciada pelo site Velocidade Curitiba. Desde então o modelo desapareceu do radar, porém ainda seria um forte competidor para a categoria P2 do Endurance Brasil ou para a P1 do Campeonato Gaúcho de Endurance. Contada a história do modelo, vamos agora à análise técnica:

Parte 1 – Aerodinâmica

A carenagem do Tubarão X buscou inspirações em alguns protótipos internacionais como o Acura ARX-01 B, guardando também algumas semelhanças com os protótipos LMP1 de construção tubular da década 90.

Acura ARX-01 B. Fonte: Carpixel [7].

Quando o modelo finalmente fez seu primeiro shakedown, a configuração utilizada apresentava um splitter dianteiro com região central elevada (1), duas tomadas de ar centrais com perfil quadrado, aparentemente para direcionar ar para resfriamento dos freios (2), Santo Antônio duplo ao estilo Le Mans (3), scoops com perfil triangular sobre os para-lamas traseiros para refrigeração dos freios traseiros (4) e pequenas entradas retangulares logo à frente dos scoops.

Adaptado de: Blog do Passatão [8].

Além disso, ainda na dianteira podem ser vistas as tomadas de ar para os radiadores (6) e a tomada de ar para o motor integrada ao Santo Antônio (7).

Adaptado de: Endurance Brasil [5].

Na lateral, destaca-se a barbatana dorsal (8) seguindo a tendência de estabelecida pelos protótipos Le Mans, levando até a asa traseira (9). Essa asa tem um perfil bem robusto, sendo suportada por dois suportes centrais e com dois endplates (10) que praticamente se juntam à carenagem. Ainda na traseira, vale notar o difusor traseiro (11).

Adaptado de: Endurance Brasil [5].

1.1 Atualizações aerodinâmicas

Na estréia oficial do carro, nas 12 Horas de Tarumã, a equipe MC Tubarão já havia promovido diversas atualizações aerodinâmicas. Partindo novamente da seção dianteira, fica clara a busca do time em adicionar downforce a dianteira, pois foram adicionados dois pares de generosos canards (12), com um suporte lateral (13) para adicionar resistência ao conjunto, usando como base o também revisado splitter dianteiro (14). Nessa imagem também é possível visualizar os bargeboards (15) logo atrás das rodas traseiras.

Adaptado de: 12 Horas de Tarumã [6].

Na traseira também houveram mudanças, com a equipe optando por uma asa traseira menor do que a largura do carro (16), montada em posição bem mais baixa e através de suportes completamente diferentes dos originais. Além disso, para a prova noturna o Tubarão recebeu a clássica barbatana iluminada (detalhe).

Adaptado de: 12 Horas de Tarumã [6].

Para os 800 km de Curitiba, a única atualização visível aconteceu na dianteira, onde as tomadas de ar para os freios mudaram de posição e passaram a adotar um perfil NACA (17).

Adaptado de: 800 km Endurance [3].

Nessa imagem da traseira é possível ver as aberturas sobre as rodas traseiras (18) e os alívios de massa no suporte da asa traseira (19).

Adaptado de: MC Tubarão [4],

Depois das 12 Horas de Tarumã de 2015, o Tubarão X voltaria as pistas apenas em 2017, agora com o nome de Proto V8 e encampado pela equipe Hoerlle. O tempo fora das pistas permitiu à equipe implementar diversas atualizações aerodinâmicas, principalmente na dianteira do modelo que foi completamente redesenhada.

Adaptado de: Endurance Brasil [5].

O bico completamente redesenhado recebeu um splitter mais rombudo (20), com uma passagem mínima de ar sob o bico (21) e os dutos de arrefecimento dos freios realocados mantendo o perfil NACA porém realocados para a região central do carro (22), próximos da posição original. Além disso, as laterais dos para-lamas ganharam um formato mais esculpido (23) e os faróis foram completamente redesenhados.

Adaptado de: MC Tubarão [4].

Para as 12 Horas de Tarumã um canard (24) foi adicionado, na eterna busca por mais downforce dianteira. Outro ponto redesenhado foram as tomadas de ar para os radiadores, que passara receber ar por uma abertura na dianteira (25), similar à dos protótipos MRX. As rodas dianteiras também receberam aberturas de ventilação (26), que antes estavam presentes apenas nas rodas traseiras. Passando à lateral, os bargeboards foram completamente eliminados, bem como os scoops que direcionavam ar aos freios traseiros e as tomadas de ar sobre as laterais. Esses itens foram substituídos por dutos NACA na lateral (27) e sobre as laterais (28) respectivamente, resultando numa diminuição da área frontal e consequentemente do arrasto. A carenagem do motor (29) também foi completamente modificada, com um redesenho do Santo Antônio e eliminação da barbatana dorsal.

Adaptado de: MC Tubarão [4].

Por fim, a carenagem traseira também foi modificada, com um corte mais abrupto (30), aparentemente para dar espaço para um novo e mais generoso difusor traseiro (31). Os suportes da asa traseira também foram redesenhados, enquanto a própria asa parece ter permanecido inalterada.

Parte 2 – Powertrain & Chassis

O Powertrain escolhido para o Tubarão X foi um motor Chevrolet LS7 V8 de 7 litros, gerenciado por uma injeção Motec M8 e preparado para render cerca de 650 cv. Segundo Paulo Machado, o motor foi escolhido por ser apenas 10 kg mais pesado que o VW VR6 utilizado no MV4, e ser um motor que na versão de rua já rende 505 HP, tornando o trabalho de preparação mais simples mantendo um bom nível de confiabilidade. Ainda assim, caso a potência obtida não fosse suficiente, os criadores originais ainda planejavam turbinar o motor, para uma potência estimada de 1.200 cv!

Motor Chevrolet LS7 V8. Fonte: Corvette Brasil [1].

Para transmitir toda essa força às rodas, foi escolhida uma transmissão Emco GA46=DP, a mesma dos Daytona Prototypes, com capacidade para até 83 kgfm de torque.

Transmissão Emco GA46-DP. Fonte: Corvette Brasil [1].

Quanto ao chassis, é uma construção tubular convencional, com tubos de aço 4130 de seção circular formando o cockpit. A carenagem é toda moldada em fibra de vidro, resultando em um peso na casa dos 850 kg.

Chassis do protótipo V8. Fonte: Corvette Brasil [1].

A suspensão é totalmente inboard, como amortecedores Koni e molas Hypercoil, enquanto o sistema de frenagem utiliza discos FREMAX de aço com 380 mm diâmetro, com pinças AP Racing. A direção é eletro-hidráulica WoodWard, e as rodas são FIKSE de 18″ com tala 12″ na dianteira e 13″ na traseira.

Histórico em Competições

Abaixo o histórico das competições das quais o Tubarão X / Proto V8 participou:

Você também pode se interessar por:

Protótipos do Endurance Brasil: DTR 01

Protótipos do Endurance Brasil: Ginetta G57 P2

Protótipos do Endurance Brasil: MCR Grand-Am

Protótipos de Endurance Brasil: Metalmoro JLM AJR

Protótipos do Endurance Brasil: Sigma P1

Nissan GT-R LM Nismo: fracasso ou falta de preparo?

Fontes:

Construindo um sonho Brasileiro com a força do LS7. Disponível em: http://corvettebrasil.blogspot.com/2010/09/construindo-um-sonho-brasileiro-com_13.html.

Tubarão X V8 7.0 vai tomando forma! Disponível em: http://www.blogdopassatao.com/2014/10/tubarao-x-v8-70-vai-tomando-forma.html.

MC Tubarão X V8 pronto pra dar suas primeiras braçadas! Disponível em: http://www.blogdopassatao.com/2014/11/mc-tubarao-x-v8-pronto-pra-ir-pra-pista.html.

Conheça o Tubarão X V8, que treinou hoje no Velopark! Disponível em:http://www.blogdopassatao.com/2014/11/conheca-o-tubarao-x-v8-que-treinou-hoje.html.

Treinos 12 Horas: MC Tubarão bate, mas já está sendo recuperado. Disponível em: http://www.blogdopassatao.com/2014/12/treinos-12-horas-mc-tubarao-bate-mas-ja.html.

Protótipo #26 à venda. Disponível em: http://velocidadecuritiba.blogspot.com/2018/03/prototipo-v8-venda.html?fbclid=IwAR0uplHErXrmAaoqzC4Ehdq1PAXdzT1iU8Ysjip3zvfgsXX6Ep4oCCobytw.

Imagens:

Retirado de [1]: Construindo um sonho Brasileiro com a força do LS7. Disponível em: http://corvettebrasil.blogspot.com/2010/09/construindo-um-sonho-brasileiro-com_13.html.

Retirado de [2]: Treinos 12 Horas: MC Tubarão bate, mas já está sendo recuperado. Disponível em: http://www.blogdopassatao.com/2014/12/treinos-12-horas-mc-tubarao-bate-mas-ja.html.

Retirado de [3]. 800 Km – Endurance. Disponível em: https://www.facebook.com/endurance800km/.

Retirado de [4]. MC Tubarão. Disponível em: https://www.facebook.com/mctubarao/.

Retirado de [5]: Endurance Brasil. Disponível em: https://www.facebook.com/endurancebrasil/.

Retirado de [6]: 12 Horas de Tarumã. Disponível em: https://www.facebook.com/12horasdetaruma/.

Retirado de [7]: 2008 Acura ARX-01b. Disponível em: https://www.carpixel.net/pt/wallpapers/13068/2008-acura-arx-01b.html.

Retirado de [8]: Conheça o Tubarão X V8, que treinou hoje no Velopark! Disponível em:http://www.blogdopassatao.com/2014/11/conheca-o-tubarao-x-v8-que-treinou-hoje.html.

Leave a Reply

Your email address will not be published.