NIVELANDO A ENGENHARIA

Ginetta G57 P2

Uma das mais recentes estreias na categoria P1 do Endurance Brasil é o protótipo Ginetta G57 P2, da equipe Team Ginetta Brasil e que em 2019 foi conduzido pelos irmãos Fábio e Wagner Ebrahim em conjunto com Pedrinho Aguiar. Hoje vamos conhecer a história desse modelo e suas principais características técnicas.

Histórico

Para entender a origem do protótipo G57, precisamos voltar até 2013, quando a ACO concebeu a categoria LMP3 como uma forma de entrada para os protótipos nas provas de longa duração, substituindo a Formula Le Mans na European Le Mans Series e os protótipos CN na Asian Le Mans Series. Cinco modelos foram inicialmente homologados pela ACO: Ginetta-Juno P3-15, Ligier JS P3, Norma M30, ADESS-03 e Ave-Riley AR-02, enquanto apenas um motor foi homologado, uma unidade Nissan VK50 V8 preparada pela Oreca e com potência limitada a 420 HP através de restritores na admissão.

Ginetta-Juno P3-15 LMP3. Retirado de: dailysportscar.com [1].

Na temporada de estreia da categoria, em 2015, inicialmente apenas o modelo Ginetta ficou pronto, ao qual se juntou no final da temporada o modelo Ligier JS P3.

Diferenças entre os modelos Ginetta P3-15 e G57 P2. Adaptado de: Ultimatecarpage..com [2] e Team Ginetta Brasil [3].

Apesar de ter vencido o campeonato, e se mostrado veloz frente ao protótipo francês, a Ginetta enfrentou dificuldades para atingir o peso mínimo inicial da categoria de 900 kg, principalmente devido a um erro na estimativa fornecida para o peso do conjunto motor-transmissão, que ficou 35 kg acima do planejado. Mesmo com peso mínimo da categoria sendo aumentado para 930 kg, no final de 2015 o fabricante britânico decidiu mudar de foco, desenvolvendo o modelo G57 P2. Partindo do monocoque do modelo LMP3, o motor Nissan foi substituído por um Chevrolet LS3 6.2 V8 com potência de 570 HP, além de um aumento de 30% no downforce divulgado pela Ginetta, obtidos principalmente através de uma asa traseira de duplo elemento (itens 1a e 1b na imagem acima) e um difusor revisado que se estende ligeiramente além do limite da carenagem traseira, e tem uma diferente geometria interna (itens 2a e 2b).

Fonte: CAR Magazine [4].

O carro foi lançado na temporada 2016, sendo elegível para disputar campeonatos como VdeV Endurance Series, Creventic 24H Series, NASA, South African Endurance Series, Dutch Supercar Challenge, e outros campeonatos de protótipos com regulamento aberto. A estréia nas pistas aconteceu na primeira etapa do campeonato francês VdeV Endurance Series, realizada no circuito de Barcelona.

Estréia do protótipo Ginetta G57 P2 no VdeV Endurance Series. Fonte: dailysportscar.com [5].

E, se trantando da primeira prova, a participação não poderia ter sido melhor, com as três primeiras posições no grid para os três G57 inscritos, e com o melhor carro completando a prova de 6 Horas na terceira posição, atrás de dois Ligier JSP3. No VdeV, seguiram vitórias na classificação geral nas etapas de Le Mans, Aragon, Magny-Cours e Estoril, culminando em 4 vitórias de 6 etapas, e a conquista do campeonato na categoria PFV para o time de fábrica da Ginetta, resultado excelente para a temporada de estréia em um campeonato competitivo. Ainda em 2016, o primeiro G57 chegou aos Estados Unidos pelas mãos do brasileiro Adolpho Rossi, culminando na pole e vitória da Miami 500, frente a modelos Ligier e Norma LMP3 e até um Corvette Daytona Prototype, além da pole e segundo lugar na estréia nas sempre desafiantes 25 Horas de Thunderhill pelas mãos da equipe Rhyno Racing Team.

Ginetta G57 da equipe Ryno Racing. Retirado de: NASA Pro Racing [6].

Em 2017, o G57 voltaria a vencer duas das quatro primeiras provas do VdeV, porém um desentendimento a respeito da aplicação de um BoP para os modelos G57 fez com que o time Ginetta deixasse de disputar as duas últimas etapas do campeonato. Contudo, a presença global do modelo se expandiu, com carros na Creventic Proto Series, NASA, FARA Endurance Series e South African Endurance Series.

Fonte: Motorsport.co.za [7].

Parte 1 – Chassis

Como já mencionado, o chassi do Ginetta G57 é um monocoque em fibra de carbono aprovado em crash test pela ACO, utilizado também pelos modelos P3-15 LMP3, G58 e G61-LT-P3.

Chassis Ginetta LMP3 como o utilizado no DevBot. Fonte: Mariantic [8].

A suspensão é do tipo duplo A com push-rods nas quatro rodas e amortecedors Ohlins, com 6 pontos de ajuste para barras de rolagem na dianteira e traseira, e terceiro elemento em ambas as extremidades.

Sistema de suspensão traseira do Ginetta G57 P2. Fonte: racecarsdirect.com [9].

Quanto ao motor, os primeiros carros utilizavam um motor Chevrolet LS3 V8, com bloco original e coletor de admissão FAST LSXR 102 mm, enquanto os modelos G58 receberam um novo motor com bloco billet (inspirado no LS3).

Motor Chevrolet LS3 V8. Fonte: racecarsdirect.com [9]

Existe também um novo motor chamado EVO3, que além do bloco billet pode ser identificado pelo coletor de admissão com runners individuais, que aparenta ser voltado para melhor performance em alta ao custo de algum torque em baixa, e que pode ser visto na imagem abaixo:

Motor Ginetta EVO3. Fonte: Team Ginetta Brasil [3].

Parte 2 – Aerodinâmica

A aerodinâmica do protótipo Ginetta G57 segue uma filosofia consideravelmente diferente dos protótipos brasileiros como o AJR ou Sigma. Isso porque os modelos nacionais aproveitam a abertura dada pelo regulamento para desenvolver um projeto aerodinâmico mais agressivo, enquanto o protótipo inglês é baseado num modelo LMP3, e mesmo com melhorias apresenta maiores limitações quanto ao design de itens como splitter, asa traseira e difusor. Ainda assim, a eficácia do projeto é comprovada pelas tomadas classificatórias, onde o modelo G57 sempre se posicionou entre os carros mais velozes.

Adaptado de: Team Ginetta Brasil [3].

Na dianteira, o modelo G57 conta com um bico elevado (1) e um splitter dianteiro com elevação central (2), aumentando o fluxo de ar sob o carro e reduzindo a sensibilidade à arfagem (pitch). As tomadas de ar para os freios são dois dutos NACA (3) integrados à carenagem dos pneus dianteiros. Além disso, podem ser utilizados dive planes (4), que podem ser ou não utilizados de acordo com o balanço aerodinâmica desejado. Além disso, os para-lamas tem um perfil mais vertical, em linha com a tendência seguida nas categorias LMP1-2-3.

Adaptado de: Team Ginetta Brasil [3].

Na lateral, destaca-se o pontoon (5) com um bordo de fuga bem recuado. Interessante também os retrovisores (6) de dimensões bem mais generosas que nos protótipos brasileiros, seguindo as determinações do ACO para visibilidade de piloto. Os para-lamas traseiros (7) também tem perfil vertical, com a tomada de ar para os freios traseiros posicionados no bordo de ataque. Também se destaca a barbatana dorsal (8), outro item originário do regulamento ACO.

Detalhe do orifício de ventilação da caixa de roda. Adaptado de: Team Ginetta Brasil [3].
Detalhe da tomada de ar para os freios traseiros. Adaptado de: Team Ginetta Brasil [3].
Adaptado de: Team Ginetta Brasil [3].

Nesta vista podemos ver o barge board dianteiro (9), outro elemento que pode ser utilizado ou removido para ajustar o balanço aerodinâmico dianteiro. Indo para a traseira, destaca-se a asa com dois elementos (10), com suporte central através de dois swan necks. Esses suportes também recebem dois conjuntos de leds para sinalização de frenagem (11). A carenagem do motor também possui um gurney (12) para gerar algum downforce extra. O difusor (13) é responsável por boa parte do downforce gerado, e tem design mais agressivo em relação aos modelos LMP3.

Adaptado de: Team Ginetta Brasil [3].
Adaptado de: CAR Magazine [4].

Outro ponto interessante são as aberturas de ventilação da caixas de roda, que tem formato retangular convencional na dianteira (14) e um pequeno “chanfro” na traseira (15). Nessa imagem também podem ser vistos os swan necks que suportam a asa traseira.

Resultados

Abaixo um compilado dos resultados do protótipo Ginetta G57 P2 no Endurance Brasil:

Você também pode se interessar por:

Protótipo do Endurance Brasil: MC Tubarão X V8

Protótipos do Endurance Brasil: MCR Grand-Am

Protótipos de Endurance Brasil: Metalmoro JLM AJR

Protótipos do Endurance Brasil: Sigma P1

Nissan GT-R LM Nismo: fracasso ou falta de preparo?

Fontes:

LMP3 officially launched. Disponível em: https://www.racecar-engineering.com/news/lmp3-officially-launched/.

LMP3 no WEC: Um sonho que não vai rolar. Disponível em: http://www.nobresdogrid.com.br/site/index.php?option=com_content&view=article&id=1405:lmp3-no-wec-um-sonho-que-nao-vai-rolar&catid=116:wec-6-horas-de-sao-paulo-2014&Itemid=284

LMP3 Review: Growing Fast, But In Need Of Close Attention. Disponível em: http://www.dailysportscar.com/2015/07/19/lmp3-review-growing-fast-but-in-need-of-close-attention.html

Ginetta Complete 2015 LMP3 Clean Sweep. Disponível em: https://www.europeanlemansseries.com/en/news/ginetta-complete-2015-lmp3-clean-sweep/3922

Ginetta Shifts Focus from LMP3 to New G57 Prototype. Disponível em: https://sportscar365.com/lemans/elms/ginetta-shifts-focus-from-lmp3-to-new-g57-prototype/

LMP3: The State of Play. Disponível em: https://www.racecar-engineering.com/articles/lmp3-the-state-of-play/

Ginetta uprates its LMP3 design to create new G57 sportscar. Disponível em: https://www.autosport.com/national/news/121649/ginetta-uprates-lmp3-to-create-g57

Ginetta G57-P2 (2017) review. Disponível em: https://www.carmagazine.co.uk/car-reviews/ginetta/ginetta-g57-p2-2017-review/

VdeV: Barcelona, Ginetta G57 vs Ligier JSP3, Ding Ding, Round 1!. Disponível em: http://www.dailysportscar.com/2016/03/21/vdev-barcelona-ginetta-g57-vs-ligier-jsp3-ding-ding-round-1.html

Lawrence Tomlinson Takes V de V Title In G57-P2. Disponível em: https://www.ginetta.com/news/lawrence-tomlinson-takes-v-de-v-title-in-g57-p2

Flying Lizard Audi Wins NASA 25 Hours of Thunderhill presented by Hawk Performance. Disponível em: https://www.nasaproracing.com/news/2016/12/flying_lizard_audi_wins_nasa_25_hours_of_thunderhill_presented_by_hawk_performance

Ginetta Kicks Off 2017 With 10 Prototype Sales. Disponível em: https://www.endurance-info.com/en/ginetta-kicks-off-2017-with-10-prototype-sales/

Ginetta G57 P2s, LMP3s & CN Cars On 24H Proto Series Full Season Entry. Disponível em: http://www.dailysportscar.com/2017/02/26/ginetta-g57-p2s-lmp3s-cn-cars-on-24h-proto-series-full-season-entry.html

Ryno Racing Enters Ginetta G57 P2 Into Thunderhill 25 Hours. Disponível em: http://www.dailysportscar.com/2016/11/11/ryno-racing-enters-ginetta-g57-into-thunderhill-25-hours.html

Simon Murray and Ginetta sets Kyalami alight with new records. Disponívem em: https://www.motorsport.co.za/news/displaynewsitem.aspx?niid=58577

Imagens:

[1]: Growing Fast, But In Need Of Close Attention. Disponível em: http://www.dailysportscar.com/2015/07/19/lmp3-review-growing-fast-but-in-need-of-close-attention.html

[2]: Ginetta Juno LMP3 Nissan. Disponível em: https://www.ultimatecarpage.com/img/Ginetta-Juno-LMP3-Nissan-59333.html

[3]: Team Ginetta Brasil. Disponível em: https://www.facebook.com/GinettaBrasil-2147063995317018/

[4]: Ginetta G57-P2 (2017) review. Disponível em: https://www.carmagazine.co.uk/car-reviews/ginetta/ginetta-g57-p2-2017-review/

[5]: VdeV: Barcelona, Ginetta G57 vs Ligier JSP3, Ding Ding, Round 1!. Disponível em: http://www.dailysportscar.com/2016/03/21/vdev-barcelona-ginetta-g57-vs-ligier-jsp3-ding-ding-round-1.html

[6]: Flying Lizard Audi Wins NASA 25 Hours of Thunderhill presented by Hawk Performance. Disponível em: https://www.nasaproracing.com/news/2016/12/flying_lizard_audi_wins_nasa_25_hours_of_thunderhill_presented_by_hawk_performance

[7]: Simon Murray and Ginetta sets Kyalami alight with new records. Disponível em: https://www.motorsport.co.za/news/displaynewsitem.aspx?niid=58577

[8]: Mariantic – LMP3. Disponível em: http://www.mariantic.co.uk/lmp3/.

[9]: [ Ginetta G57-P2 – SOLD ]. Disponível em: https://racecarsdirect.com/Advert/Details/85967/ginetta-g57-p2

Leave a Reply

Your email address will not be published.