Tech Analysis: Aldee Tubarão #5

Tech Analysis – Aldee Tubarão 

Após um acidente durante as 6 Horas de Guaporé que danificou consideravelmente o Aldee Cupê utilizado pela MC Tubarão na categoria TS da Super Turismo, os gaúchos aproveitaram a oportunidade para atualizar a aerodinâmica do protótipo. O resultado não poderia ter sido melhor: pole na categoria TS e vitória na geral na etapa de encerramento do Super Turismo, derrotando os carros da categoria GT, teoricamente mais velozes. Na postagem de hoje vamos conhecer as atualizações promovidas na aerodinâmica do carro e que levaram a esse impressionante resultado.

As principais alterações promovidas após o acidente foram na dianteira do protótipo, com um novo splitter (1) com seção central elevada e canards (2) mais agressivos do que na configuração que iniciou a temporada 2021. O capô também foi redesenhado, com duas aberturas para ventilar a pressão acumulada pela tomada do radiador (3). A última grande modificação são as aberturas de ventilação das caixas de roda (4). Essa solução, que podemos visualizar melhor no detalhe 4a abaixo, é muito utilizada em carros de turismo e Time Attack.

Em relação ao carro que começou a temporada, a seção traseira também recebeu diversas modificações, porém a maior parte delas foi implementada ao longo da temporada.

Durante o ano, a tomada de ar 5a, que ficava sobre o teto foi realocada para a extremidade traseira (posição 5b), reduzindo a área frontal. O aerofólio traseiro (6a) também foi redesenhado, passando a um design de dois elementos com suporte tipo swan neck (6b). A traseira também recebeu uma cobertura em acrílico (7), outra modificação que vai no sentido de reduzir o arrasto aerodinâmico. Após a reconstrução do carro, o deck traseiro recebeu um ducktail (8), além de um novo difusor traseiro mais agressivo (9a e 9b).

8a: detalhe do ducktail traseiro do Aldee Tubarão.

Todas essas modificações levaram a uma melhoria de performance de cerca de 3 segundos em Tarumã (a melhor volta em prova da segunda etapa foi marcada em 1m13s840, enquanto a nova versão cravou 1m10s817), um ganho impressionante para um projeto que já tem praticamente 30 anos!

Você também poderá se interessar por:

MC Tubarão X (2014 – 2017)

O Tubarão X é a criação mais recente da linhagem de protótipos desenvolvidos pela equipe gaúcha MC Tubarão em Cachoeirinha, no Rio Grande do Sul.

BMW 135i GTR

Preparado pela MC Tubarão com base BMW 135i de rua e equipado com kit widebody da alemã Floßmann, esse carro foi preparado em 2017 pela equipe MC Tubarão, e possui em seu currículo diversas vitórias nas pistas gaúchas, incluindo a edição 2019 das 6 Horas de Guaporé, conduzido por Paulo Sousa e Mauro Kern.

3 thoughts on “Tech Analysis: Aldee Tubarão #5

    1. Bom dia!

      A motorização é VW AP 8V (conforme regulamento da classe TS da Superturismo) e os freios são argentinos da Dopler com pastilhas Tecpads, porém não tenho no momento as especificações (número de pistões, diâmetro dos discos). A mesma coisa vale para a suspensão traseira, que segue o lay-out original dos Aldee motor traseiro porém não tenho as informações sobre especificações de amortecedores e molas, por exemplo. Espero ter ajudado!

Leave a Reply

Your email address will not be published.