Temporada 2022 do Império Endurance Brasil – categorias P2 e P2 Light

O regulamento técnico também trouxe novidades entre os protótipos, com a categoria P3 agora renomeada para P2 Light.

Categoria P2 Light

Com excessão da mudança de nome, a P2 Light segue sem sofrer mudanças em seu regulamento técnico:

Seguem sendo permitidos protótipos com motorização aspirada até 2.300 cm³ quando de origem automotiva, ou até 1.507 cm³ quando de origem motociclística. Obrigatoriamente, todos os protótipos com cockpit aberto devem ser equipados com o sistema HALO de proteção frontal. Em 2022 o grid da categoria deve ser reduzido de em média 5 carros para 3 ou 4 carros por prova, após a migração de diversas equipes para a categoria P1, incluindo os atuais campeões:

  • Tubarão IX #5: após o título da temporada 2021, a equipe gaúcha está desenvolvendo seu próprio protótipo P1, e não devemos ver o Tubarão IX competindo na P2 Light;
  • MRX #72: outra equipe à migrar para a P1 é a da família Antunes, após adquirir o AJR #65 que pertencia a equipe NC Racing;
  • MRX #73 e #74: a princípio também não devemos ver os MRX da equipe paranaense LT Team, pois os pilotos Luiz César Jr, Sarin Carlesso e Edu Souza migraram para a P1 à bordo do no AJR da equipe. Hugo Cibien, que também competiu de MRX pela equipe de Leandro Totti, também migra para a P1 porém à bordo de um dos Sigma P1 G4 da FTR Motorsport.

Metalmoro MRX

O principal modelo competindo na categoria P2 Light é o MRX da Metalmoro. Lançado em 2009, o MRX coleciona vitórias e títulos em provas clássicas como 12 Horas de Tarumã, 500 Milhas de Londrina e Mil Milhas, além de diversos títulos na Endurance Brasil e outros campeonatos pelo país. Desde seu lançamento o protótipo têm passado por evoluções constantes na carenagem, chassi e motopropulsor, com várias equipes desenvolvendo soluções próprias

Entre os participantes confirmados para a primeira etapa estão o MRX #7 com motorização Honda K20 de Aldoir Sette, o MRX #34 Opel C20XE de Mário Marcondes e Ricardo Haag e durante a temporada poderemos ter eventuais participações do MRX #56 Honda K20 de Rafael e Gustavo Simon.

Radical SR3

Participantes assíduos entre as temporadas 2018 e 2019, a dupla Renato e Matheus Stumpf podem retornar ao grid. Ainda que não tenha sido confirmado pela equipe, o protótipo Radical SR3 da Realdrivetech foi apresentando durante um evento no sul país com algumas atualizações, incluindo o HALO exigido pela Endurance Brasil.

Mamba Negra 2S

Outra possibilidade para a P2 Light é a participação do protótipo Mamba Negra 2S, que realizou sua estréia durante as Mil Milhas. Equipado atualmente com motorização Volkswagen AP aspirada, o protótipo paulista não fez feio, e pode aparecer durante algumas etapas do Endurance Brasil além de provas como os 500 km de São Paulo.

Categoria P2

Já a categoria P2 traz algumas novidades em seu regulamento, buscando maior equilíbrio e atrair novos competidores:

Tal como em 2021, são proibidas diversas configurações de motorização:

  1. Judd Power: HK V8 LMP2, JUDD KV (ZYTEC) V8 F3000, JUDD DB3.0, JUDD DB3.4, JUDD DB4.0, JUDD GV 4.0, JUDD GV 4.2, JUDD GV 5.0, JUDD GV 5.5;
  2. Zytec;
  3. Acura HPD AR35TT;
  4. Gibson Technology: GK428 LM P2, GL458 LM P1;
  5. AER: SR20, P03, P07, P14, P25, P32, P41, P57, P60B, P63, P65, P91 e P91B;
  6. Mecachrome V634P1 LM P1;
  7. Toyota TS050 Hybrid LM P1;
  8. Proibido motores sobrealimentados acima de 4200 cm;
  9. Motores provenientes do Campeonato Alemão DTM – Deutsche Tourenwagen Masters;
  10. Motores Ford Ecoboost V6 – Ford Performance;
  11. Motores com sistema de sobre alimentação composta (turbinas ligadas em série);
  12. Motores provenientes dos Campeonatos de F1 ou F-Indy

MCR Grand Am

Atual campeão com os pilotos Fernando Poeta e Claúdio Ricci, o protótipo projetado por Luiz Fernando Cruz venceu todas as etapas nas quais participou exceto a prova disputada no Velocittà, sempre correndo em ritmo próximo aos carros da GT3 e GT3 Light. O MCR Grand Am é o único P2 confirmado na etapa de abertura, porém podem receber a companhia de outros protótipos durante a temporada, como veremos abaixo.

Giaffone G21

Carro desenvolvido pela Giaffone Racing para a equipe JDavid Team, o protótipo Giaffone G21 utiliza o know-how adquirido com os Stock tubulares JL09 e da Stock Light para construir um protótipo que demonstrou muita velocidade em 2021, porém sofreu um pouco com a confiabilidade. O regulamento 2022 prevê um aumento na capacidade do tanque de combustível de 100 para 110 litros, o que pode favorecer o ritmo de prova para o G21, e no momento o carro encontra-se parado, aguardando uma tripulação para voltar às pistas.

Absoluta ABS01

Outro protótipo que fez sua estréia (ou no caso, reestreia) em 2021 é o ABS01 da Absoluta Racing. Desde sua introdução em meados do ano passado, o ABS01 é possivelmente o protótipo que mais acumulou provas com participações em provas da Endurance Brasil, Open Paulista e nas tradicionais 500 Milhas de Londrina e Mil Milhas do Brasil. Na Endurance Brasil os pontos altos da equipe de Ney Faustini foram a pole position da P2 no Velocittà e a segunda posição nas 4 Horas de Curitiba. Para 2022, foi adicionado um adendo para protótipos equipados com motores carburados, aumentando a capacidade do tanque para 110 litros, que deve favorecer o ritmo de prova do ABS01.

AJR P2

A principal novidade da classe é a presença de uma configuração P2 para o protótipo AJR, com peso mínimo de 1.000 kg e restritor de 70 mm. Também é proibida a utilização de terceiro elemento na suspensão e o AJR P2 deve utilizar a asa dianteira de dois elementos e fica proibido de utilizar a asa móvel traseira (proibição válida para todos os protótipos P2) configuração que aproxima muito o protótipo da configuração original com a qual foi lançado, em 2017. Até o momento do fechamento não temos confirmação se alguma equipe planeja utilizar um carro nessa configuração durante a temporada.

Tubarão MC40

Outra possibilidade aventada para a categoria P2 é o silhouette Tubarão MC40. Desenvolvido para o Superturismo gaúcho utilizando parte do chassi de um MR18 e uma carenagem Furlan GT40, o MC40 chamou atenção pelas belas linhas e pela performance, conquistando a pole-position nas 12 Horas de Guaporé. Tal foi o retorno positivo, que já em Guaporé se falava na possibilidade de desenvolver uma versão P2 do carro utilizando motorização quatro cilindros turbo. Não existe confirmação de que alguém tenha fechado para o desenvolvimento de um MC40 P2, porém o modelo se torna uma opção interessante para a classe P2 do Endurance Brasil.

Leitura Complementar

MCR Grand Am

Giaffone G21

Absoluta ABS01

Metalmoro JLM AJR

Tubarão MC40

Mamba Negra 2S

Roco 001

Leave a Reply

Your email address will not be published.