Absoluta ABS01 (a.k.a. Alfran 450A)

Não é incomum carros de competição possuírem mais de uma vida, sofrendo mudanças na aparência, motorização e até mesmo de nome. Talvez o exemplo mais emblemático dessa metamorfose ambulante seja o TWR WSC 95, onde um único chassi nasceu Jaguar (XJR-14), virou Mazda (MXR-01), venceu as 24 Horas de Le Mans por duas vezes (1996 e 1997) e terminou sua vida nas pistas como Porsche LMP1 98, história muito bem contada pelo Jalopnik.

Fonte: Jalopnik [1].

Aqui no Brasil não é diferente, com diversos carros que vivenciando o mesmo processo, como o protótipo Absoluta ABS01 que iremos conhecer hoje, um projeto construído originalmente em 2005, mas que reestreou nas pistas na Segunda Etapa do Campeonato Paulista de Automobilismo.

João Alfran e o Braspress 450 A

Não há como falar desse carro sem falar de João Alfran, potiguar que construiu uma reputação como mecânico e preparador de carros de competição, tendo participado da construção do chassi Enriconi, desenvolvido pelo engenheiro Edison Enriconi para a Fórmula Vê 1300 e Fórmula Fiat, com o qual Maurício Gugelmin sagrou-se campeão da Fórmula Fiat.

Chassi Enriconi da Fórmula Fiat. Fonte: Blog do Sanco [2].

Um de seus clientes fiéis era Roberto Pupo Moreno que, confiando no trabalho do amigo, o indicou para uma vaga na pequena equipe Coloni, a partir da segunda metade da temporada de 1989. Mesmo sem graduação formal em engenharia, a persistência, simpatia e bom trabalho do brasileiro conquistaram a confiança de Enzo Coloni, e ele se tornou um dos principais mecânicos da escuderia. Alfran permaneceria na equipe até 1992, quando esta já havia se transformado na malfadada Andrea Moda.

Coloni C3 no GP do Canadá de 1989. Fonte: Memória F1 [3].

Com a experiência adquirida na F1, Alfran abriu sua própria oficina de preparação, a Alfran Racing, que entre outras atividades prestava suporte de pistas e preparação do Aldee Spyder com o qual os empresários Urubatan Helou e Urubatan Helou Jr, proprietários da transportadora Braspress, competiam em provas de longa duração como as Mil Milhas e 500 Km de Interlagos no início dos anos 2000.

Nessa época as provas longas brasileiras começavam a receber carros das principais categorias mundiais como FIA GT, DTM e IMSA, tornando impossível que protótipos como Espron e Aldee Spyder lutassem pela vitória na classificação geral. Para fazer frente aos importados, os fabricantes locais começaram a desenvolver novos protótipos com motores de alta cilindrada ou sobrealimentados, resultando em uma das eras de maior desenvolvimento do Endurance no país.

A equipe Braspress seguiu o mesmo caminho, dando origem ao protótipo Braspress 450A, projetado e construído por João Alfran seguindo uma linha de design similar ao ZF01 (protótipo construído pela ZF responsável pelos Stock Car, com base no projeto do Riley&Scott Mk III). Após 18 meses entre concepção e construção do carro, o shakedown foi realizado em Interlagos por Urubatan Helou Jr. durante última etapa do Campeonato Paulista de Força Livre de 2004, com o objetivo de estrear o carro nas Mil Milhas de 2005 e competir no Campeonato Brasileiro de Endurance.

Fonte: GP Total [4].

Infelizmente, João Alfran faleceu poucos dias após esse shakedown devido a problemas cardíacos, e compreensivelmente o 450 A não disputou as Mil Milhas daquele ano e como homenagem ao saudoso amigo, o carro foi renomeado como Alfran 450A.

Protótipo Alfran 450 A durante o primeiro shakedown. Fonte: Diariomotorsport [5].

No fim, o protótipo permaneceu guardado sob os cuidados da Família Helou, e até se cogitou promover a estréia oficial em duas ocasiões, primeiro 2009 e posteriormente em 2012, mas no final o piloto Urubatan Helou não achou justo correr com o carro sem a presença do amigo e construtor, que trabalhou duro para realizar o projeto, mas jamais teve a oportunidade de vê-lo competir, optando por revisar o carro e colocá-lo à venda, para que alguém pudesse dar seguimento ao projeto.

Protótipo Alfran 450 A armazenado sob os cuidados da Braspress. Disponível em: Endurance Brasil [6].

Ney Faustini e a Absoluta Racing

Entra aqui o segundo capítulo da história do Alfran 450A, agora pelas mãos de Ney Faustini. Um dos pilotos a mais tempo em atividade no Brasil e com vitórias e títulos em diversas categorias como Divisão 3, Divisão 4, Turismo 5000, Stock Car, o piloto também é proprietário da rede de concessionárias Chevrolet Absoluta, e tem sido um grande apoiador do automobilismo nacional nos últimos anos, seja através das participações em provas de Endurance e da Força Livre Paulista com sua equipe Absoluta Racing, seja patrocinando eventos com a Mil Milhas e os 500 km de Interlagos.

Ainda em 2012, Ney adquiriu o Alfran 450A com objetivo de participar da Top Series (antiga encarnação do Campeonato Brasileiro de Endurance), e chegou a fazer um shakedown durante a sexta etapa do Campeonato Paulista de Força Livre, ainda que os pneus fossem de um composto muito duro e o motor ainda não estivesse em uma condição ideal de acerto.

Fonte: Absoluta Racing [7].

Contudo, com o cancelamento da Top Series ainda no meio da temporada o carro voltou a ficar guardado, e não haveriam novas notícias sobre o modelo até 2016. Nessa época, o Endurance Brasil já começava a se estabelecer e foi quando surgiu a idéia de substituir todo o powertrain original pelo de um modelo Maserati Trofeo, almejando participar da temporada 2017 do Endurance Brasil. Porém novamente o projeto foi engavetado, já que para 2017 o piloto Ney Faustini acabou disputando o campeonato dividindo as atividades de pista entre os protótipos Cobalt Stock V8 e MCR Grand Am. Nas duas temporadas seguintes a Absoluta Racing utilizaria o protótipo DIMEP / GeeBee R1 alugado pela família Pimenta e, em 2020, Ney Faustini ainda disputaria algumas provas conduzindo os protótipos Sigma P1 e AJR #80.

Fonte: Absoluta Racing [7].

Novamente veio à tona o desejo de utilizar o Alfran 450A nas provas do brasileiro, porém com a evolução dos competidores uma atualização completa foi necessária, incluindo suspensão, chassi, transmissão (agora uma Hewland NLT sequencial), e até mesmo a posição do piloto, que passa a ficar em posição bem mais baixa, modificações executadas pelo experiente português Carlos Tigueis, da Tigueis Motorsport.

Adaptado de: Absoluta Racing [7].

Com essas modificações, o agora renomeado Absoluta ABS01 fez sua estreia nas pistas durante a Segunda Etapa do Campeonato Paulista de Automobilismo. Por se tratar do primeiro shakedown do carro após anos parado, alguns problemas normais de um carro do tipo surgiram, como explicado pelo próprio Ney Faustini durante a transmissão da prova:

“Já sabíamos que um ponto vulnerável desse carro seria o eixo piloto, que devido a distância entre o motor e o câmbio é um pouco grande, e realmente foi o que deu problema. A exceção de alguns probleminhas que tivemos de pressão de combustível e de pedal de freio baixo durante os treinos, já sanados, o carro foi perfeito por ser a primeira prova. Quanto à vulnerabilidade do eixo piloto, é algo que já sabíamos que precisaremos trabalhar sobre a dureza e têmpera do material para deixá-lo mais resistente para completar as provas mais longas. Mas, por ser a primeira vez em que o carro andou, estou super satisfeito, o carro apresentou o desempenho dentro do esperado e estou muito feliz com o carro. É claro que gostaria de ter vencido à prova, e já havíamos aberto boa vantagem para o segundo colocado, mas infelizmente são coisas de corrida. ”
Fonte: Absoluta Racing [7].

Efetivamente, a equipe acumulou cerca de 80 voltas entre as atividades do Campeonato Paulista e duas sessões de treinos livres. No Paulista, a melhor marca obtida por Ney Faustini foi de 1m41s786, já muito próximo aos melhores tempos obtidos pilotando o protótipo GeeBee R1.

Análise técnica

Parte 1 – Chassis & Powertrain

O chassi do ABS01 é de construção tubular, em aço cromo molibdênio. Originalmente, o santantonio era uma estrutura de 9 pontos, e atualmente conta com 4 pontos e deverá receber o obrigatório HALO para competir no Endurance Brasil.

Adaptado de: Diariomotorsport [5].
Adaptado de: Absoluta Racing [7].

Outro ponto interessante é a fixação do motopropulsor, que utiliza um mid plate soldado à estrutura tubular, solução comum em carros de arrancada e que facilita o processo de montagem e desmontagem seja de motor, seja de transmissão.

Adaptado de: Absoluta Racing [7].

Além dessas modificações, todos os sistemas passaram por revisões. Os cubos de roda, por exemplo, foram substituídos por um novo desenho, unificando a solução com o protótipo Cobalt da equipe e simplificando a manutenção e o inventário de peças de reposição.

Fonte: Absoluta Racing [7].

Já o powertrain originalmente consistia de um motor Chevy V8 de 7 litros, acoplado a uma transmissão Hewland FG400. Esse set up foi utilizado no primeiro shakedown do carro, ainda pelas mãos da Braspress, e depois novamente em 2012 no shakedown realizado por Ney Faustini quando adquiriu o carro. Na recente atualização, a configuração utilizada foi novamente o motor Chevy V8 7 litros, mas agora acoplado à uma transmissão sequencial Hewland NLT.

Fonte: Absoluta Racing [7].

Entretanto, para as provas de longa duração será utilizado um novo motor Chevrolet V8, agora com 6.2 litros e mais leve, também preparado pela RTC Racing Team de Rodrigo Cardoso. A expectativa com a mudança é ter um motor mais leve e econômico, e com uma faixa de torque mais adequada à transmissão NLT, visando durabilidade e um melhor ritmo de prova.

Parte 2 – Aerodinâmica

A carenagem do Absoluta ABS 01 tem linhas limpas, em um conceito similar ao dos protótipos LMP/WSC dos anos 90, como o Riley & Scott Mk III. Na estréia do carro, ainda em 2005, destacava-se a ausência de tomadas de ar, com os únicos elementos aerodinâmicos visíveis sendo a tomada de ar do radiador, o pequeno splitter dianteiro (1) e a asa traseira de um elemento (2).

Adaptado de: Diariomotorsport [5].

Mesmo sem ter competido oficialmente, o então Alfran 450 A recebeu diversas atualizações aerodinâmicas no período entre 2005 e 2012. Na dianteira podemos notar as tomadas de ar dos freios (3) e que foram adicionadas duas saídas de ar para o radiador (4), privilegiando tanto a refrigeração quanto o downforce dianteiro. Também foram adicionados dois dutos NACA (5) nas laterais do cokpit, e dois scoops para direcionar ar para os freios traseiros (6).

Adaptado de: Absoluta Racing [7].

Na nova especificação, também a aerodinâmica recebeu um cuidado especial. Foram adicionados defletores à frente as tomadas de ventilação do radiador (7), gerando uma área de baixa pressão e auxiliando a extração de ar quente. As caixas de roda passaram a ser ventiladas (8), uma solução para incrementar o downforce dianteiro do carro.

Adaptado de: Absoluta Racing [7].

As tomadas de ar traseiras (9) também foram revistas, abandonando os scoops em favor de dutos NACA.

Adaptado de: Absoluta Racing [7].

Outra adição foi a tomada de ar para o motor (10), ligada diretamente ao carburador do motor Chevy V8.

Adaptado de: Absoluta Racing [7].

Resultados

Você também pode se interessar por:

DTR 01

GT Racecars GeeBee R1 (DIMEP GT R1)

Giaffone G21

Ginetta G57 P2

MC Tubarão X V8

MCR Grand Am

Metalmoro JLM AJR

Sigma P1

Spirit AR3

TMC M1

Leal Race Cars LR01

Nissan GT-R LM Nismo: fracasso ou falta de preparo?

Fontes:

The Strange Orphan Story Of The Most Successful Le Mans Car Ever. Disponível em: https://jalopnik.com/the-strange-orphan-story-of-the-most-successful-le-mans-1677120408.

Protótipo Alfran 450 A. Disponível em: https://www.autoracing.com.br/forum/index.php?/topic/31062-endurance-e-mil-milhas-prot%C3%B3tipos-gt-e-turismo-para-todos/page/33/&tab=comments#comment-821077

Histórias do Alfran. Disponível em: http://gptotal.flaviz.com.br/2001/panda/cartas2q_01_05.htm.

Protótipo Alfran Braspress 450 A poderá retornar às pistas, quatro anos após a morte de seu criador. Disponível em: https://www.diariomotorsport.com.br/prototipo-alfran-braspress-450-a-podera-retornar-as-pistas-quatro-anos-apos-a-morte-de-seu-criador/.

New Brazilian Prototypes. Disponível em: http://archive.dailysportscar.com/subscribers/news/other/2005other/other781.htm.

Venda de protótipo V8 com 700 cv… Disponível em: https://endurancebrasil.webnode.com.br/products/venda-de-prototipo-v-8-com-700cv-/.

Ney Faustini testa protótipo Chevrolet. Disponível em: https://www.jornaldaorla.com.br/noticias/2169-ney-faustini-testa-prototipo-chevrolet/.

Faustini desenvolve protótipo Maserati. Disponível em: https://www.autoentusiastas.com.br/2016/09/incertezas-paralisam-mercado/.

Imagens:

[1]: Retirado de: The Strange Orphan Story Of The Most Successful Le Mans Car Ever. Disponível em: https://jalopnik.com/the-strange-orphan-story-of-the-most-successful-le-mans-1677120408.

[2]: Retirado de: Enriconi. Disponível em: http://blogdosanco.blogspot.com/2008/02/enriconi.html.

[3]: Retirado de: GP Memorável 14# – Canadá 1989. Disponível em: http://memoriaf1.blogspot.com/2015/01/gp-memoravel-14-canada-1989.html.

[4]: Retirado de: GP Total. Disponível em: Histórias do Alfran: Disponível em: http://gptotal.flaviz.com.br/2001/panda/cartas2q_01_05.htm.

[5]: Retirado de: Protótipo Alfran Braspress 450 A poderá retornar às pistas, quatro anos após a morte de seu criador. Disponível em: https://www.diariomotorsport.com.br/prototipo-alfran-braspress-450-a-podera-retornar-as-pistas-quatro-anos-apos-a-morte-de-seu-criador/.

[6]: Retirado de: Venda de protótipo V8 com 700 cv… Disponível em: https://endurancebrasil.webnode.com.br/products/venda-de-prototipo-v-8-com-700cv-/.

[7]: Retirado de: Absoluta Racing. Disponível em: https://www.facebook.com/AbsolutaRacing.

Leave a Reply

Your email address will not be published.